Total de visitantes até hoje

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O Memorial das Famílias Fernandes de Almeida e Soares Leite (FERALSOLE)



O MEMORIAL DAS FAMÍLIAS FERNANDES DE ALMEIDA
E SOARES LEITE (FERALSOLE)

                                                                                                  FERNANDES, OSMAR SOARES

RESUMO

O presente trabalho, O Memorial das Famílias Fernandes de Almeida e Soares Leite (FERALSOLE), teve como escopo demonstrar as genealogias e as histórias dessas famílias, unidas, a partir do casamento, entre, João Fernandes de Almeida (IN MEMORIAM) e Lêda Soares de Almeida, datado de 15 de setembro de 1956, na cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná. O objetivo precípuo deste trabalho foi apresentar o levantamento e a análise do conteúdo da história e da origem do legado deixado pelos seus antepassados. Foi concluído até a quinta geração e certificou-se que contém na estirpe ramificações de vários sobrenomes: Alves; Brito; Cavalcante; Conceição; Correia; Feitoza; Jesus; Kogler; Lima; Primo; Rodrigues; Sampaio e Vieira. Para quem e por que este legado é importante? O método utilizado para o desenvolvimento foi o de pesquisas bibliográficas, artigos, sites da internet, entrevistas presenciais, videoconferências web e em redes sociais. Juntou-se documentos com a fé pública: certidões de nascimentos, casamentos, atestados de óbitos e outros, além de fotos e imagens atuais e antigas. Ao término deste memorial revelou o brilhante destaque social, político, econômico, cultural e religioso das famílias, além da origem e da linhagem dos ancestrais até os seus descendentes, o que gerou um espírito de harmonia e contentamento coletivo familiar.

Palavras-chave: Ancestral. Descendentes. Genealogia. Memorial. Origem.

ABSTRACT

The present work, The Memorial of Families Fernandes de Almeida and Soares Leite (FERALSOLE), was aimed at demonstrating the genealogies and histories of these families, united, from the marriage, between João Fernandes de Almeida (IN MEMORIAM) and Lêda Soares De Almeida, dated September 15, 1956, in the city of Nova Londrina, State of Paraná. The main objective of this work was to present a survey and analysis of the content of the history and origin of the legacy left by their ancestors. It was completed up to the fifth generation and made sure that it contains in the strain branches of several surnames: Alves; Brito; Cavalcante; Conceição; Belt; Feitoza; Jesus, Kogler; Lima, Primo; Rodrigues; Sampaio and Vieira. For whom and why is this legacy important? The method used for the development was the bibliographical researches, articles, internet sites, face-to-face interviews, web videoconferences and in social networks. Documents with the public faith were added: birth certificates, marriages, death certificates and others, as well as current and old photos and images. At the end of this memorial, it revealed the brilliant social, political, economic, cultural and religious prominence of families, as well as the origin and lineage of the ancestors to their descendants, which generated a spirit of harmony and collective family contentment.

Keywords: Ancestral. Descendants. Genealogy. Memorial. Source.

­________________________
Graduado em História, Licenciatura Plena (UNIC/MT) e pós-graduado em Psicopedagogia clínica e institucional pela FATEC/PR. Atua como Professor de História na Comarca de Nova Londrina, Estado do Paraná, na Rede Pública Estadual de Ensino, pela SEED/PR, Ensino Médio; Escritor, Poeta, Historiador; Psicopedagogo e Ex-vereador. E-mail: osmarescritor@gmail.com


DEDICATÓRIA


ÀS MINHAS BISAVÓS, MAINHA E MÃEZINHA


        Mainha, Irmã Feitoza – era Evangélica da Congregação Cristã no Brasil, Nova Londrina, Estado do Paraná. Era evangelista e por Dom de Deus exercia a piedade. Era poetiza, erudita e gostava de declamar poesias para os netos e bisnetos. Era assídua pregadora da Bíblia para os familiares e boa parte da família hoje, é batizada na Congregação Cristã no Brasil, graças aos seus ensinamentos e devoção. 
Mãezinha, como era carinhosamente chamada por todos – Familiares mais antigos contam que, seu jeito nordestino era muito presente em seu cotidiano, conhecia a vida da família como ninguém. Exímia cozinheira, sua culinária era, predominantemente, nordestina e italiana. Contadora de histórias e estórias e tinha um jeito especial e engraçado de contar os casos e causos. Era protetora e queria todo mundo sempre à sua volta, debaixo de suas “asas”.

                                                      Suas vidas estão eternizadas em nossas memórias.


AGRADECIMENTOS


Ao Senhor Nosso Deus que nos presenteou com uma linhagem sublime, respeitosa, honesta e repleta de luta, esperança e fé.
Ao integrante da família que nos deixou saudades, sabedoria, amor e exemplo de vida.
Ao meu Avô Vicente Soares Leite, que foi, é e será sempre um líder eterno.
À minha “Vó Doquinha”, que viveu em paz, e, soube criar e educar os seus filhos legítimos, adotivos e de criação, com muito amor, carinho e dedicação.
Ao meu Avô, José Fernandes de Almeida “Vô Zeca”, por sua luta e ensinamentos. Um homem de fibra e de educação ilibada.
À minha Vó, Josefa “Madinha Dona”, que se entregou de corpo e alma nos afazeres domésticos com afinco e amor. Muitas vezes, deixou de viver a vida para viver a dos filhos. Foi aguerrida, querida e batalhadora.
Ao meu pai João Fernandes de Almeida, um herói. Amigo de todas as horas; perseverante e lutador, esposo amoroso e pai dedicado; um exemplo de vida.
Á minha querida mãe, Lêda Soares de Almeida ”mamãe Lêda”, divina, de Deus é obra-prima. Guerreira, vencedora; um brilhante dos céus. Uma mulher de fé, uma bênção de Deus.
À minha bisavó, Alexandrina “Mãezinha”, pelos seus 96 anos de perseverança e luta; uma existência marcada pela paixão de viver e pelo amor à família.
À minha bisavó, Maria de Lima Sampaio “Mainha”, pela sua fidelidade a Deus. Suas poesias, declamações e composições brotaram frutos ilibados. Uma luz que irradia vida para toda posteridade. Um exemplo de amor infinito.
A todos os colaboradores direto e indiretamente que me ajudaram a resgatar este legado histórico e a construir este memorial.

                                                                            A todos, meu muito obrigado!

LISTA DE FOTOS


1. Foto dos pais de João e de Lêda.......................................................................... 9
2.Foto de Alexandrina - Mãezinha.......................................................................... 16
3. Foto de  Cosme - comemoração do Centenário de vida... ................................. 17
4. Foto de Adelita - comemoração do Centenário de vida...................................... 17
5. Foto de Maria – Mainha...................................................................................... 20
6. Foto de Zeca e Vicente Soares Leite.................................................................  28
7. foto de Zeca e Madinha Dona............................................................................  29
8. foto do Quadro Coletivo – Família Fernandes de Almeida................................. 30
9.  Foto de Vicente e Doquinha............................................................................... 35
10. Foto do Quadro Coletivo – Família Soares....................................................... 37
11. Foto do Quadro Coletivo – Família Soares Leite.............................................. 46
12. Fotos e a Árvore genealógica de Osmar S. Fernandes.................................... 68


LISTA DE BRASÕES E SÍMBOLOS



1. Brasão da Família Fernandes............................................................................. 33
2. Brasão da Família Almeida................................................................................. 35
3. Brasão da Família Soares................................................................................... 54
4. Brasão da Família Leite...................................................................................... 58
1. Símbolos utilizados na construção de um heredograma.................................... 68       

 
SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO....................................................................................................... 7
2. AS GENEALOGIAS E AS HISTÓRIAS DAS FAMÍLIAS....................................... 8
2.1 Genealogia das Famílias Fernandes de Almeida e Soares Leite..................... 28
2.2 Família Fernandes............................................................................................ 29
2.3 Origem da Família Fernandes........................................................................... 32   
2.4 Origem da Família Almeida............................................................................... 34  
2.5 Família Soares.................................................................................................. 35  
2.6 Origem da Família Soares................................................................................ 52
2.7 Origem da Família Leite.................................................................................... 54
3. O CONCEITO DE FAMÍLIA E SUA EVOLUÇÃO................................................ 56
4. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA .......................................................................... 57
4.1. Conceito de família........................................................................................... 60
4.2 A Constituição Federal de 1988 e o Código Civil de 2002................................ 61
5. METODOLOGIA ................................................................................................  65   
6. ANÁLISE DO CONTEÚDO................................................................................   66 
7. CONSIDERAÇÕES FINAIS................................................................................  67
REFERÊNCIAS.......................................................................................................  69 



1. INTRODUÇÃO

“Ninguém tem culpa do rosto que tem, mas, é responsável pela imagem que constrói”. (Prof. Osmar Soares Fernandes).

O presente trabalho de pesquisa teve como meta estudar, analisar e demonstrar as genealogias e as histórias das Famílias Fernandes de Almeida e Soares Leite (FERALSOLE), unidas a partir do casamento entre, João Fernandes de Almeida (IN MEMORIAM) e Lêda Soares de Almeida, datado de 15 de setembro de 1956, na cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná.
O objetivo precípuo deste trabalho foi apresentar o levantamento e a análise do conteúdo da história e da origem do legado deixado pelos seus antepassados. O objetivo geral foi analisar todo material adquirido até a quinta geração, e certificou-se que contém na estirpe ramificações de vários sobrenomes: Alves; Brito; Cavalcante; Conceição; Correia; Feitoza; Jesus, Kogler; Lima, Primo; Rodrigues; Sampaio e Vieira. O método utilizado para o desenvolvimento foi o de pesquisas bibliográficas, artigos, sites da internet, entrevistas presenciais, videoconferências web e em redes sociais. Juntou-se documentos com a fé pública: certidões de nascimentos, casamentos, atestados de óbitos e outros, além de fotos e imagens atuais e antigas.
Justifica-se este estudo pela relevância familiar histórica e as suas genealogias, o que permitiu um exame bibliográfico minucioso e um método de pesquisa presencial e virtual, constituídos entre as várias gerações, o que dignificou ainda mais essa investigação. O trabalho partiu do seguinte questionamento: Para quem e por que este legado é importante? Conclui-se que este conhecimento histórico é importante para todas as gerações, pois todo fruto tem a sua raiz.
A pesquisa centrou-se na busca incansável e implacável de juntar os parentes próximos, ausentes e, essencialmente, os desconhecidos, que moram em diferentes localidades dos Estados Brasileiros e em outros países.
O trabalho demonstrará ao longo do estudo elaborado os resultados conquistados e a sua importância, o que foi determinante, peremptório à sua conclusão. O legado conhecido e resgatado, servirá de alicerce para atual geração e de base exemplar para as futuras descendências.

2. AS GENEALOGIAS E AS HISTÓRIAS DAS FAMÍLIAS

Este Memorial manifesta as genealogias e as histórias das Famílias Fernandes de Almeida e Soares Leite (FERALSOLE), iniciado no segundo milênio da Era Cristã, século XX, em meados do mês de junho do ano de 1997, unidas a partir do casamento entre João Fernandes de Almeida (In Memoriam) e Lêda Soares de Almeida, datado de 15 de setembro de 1956, na cidade de Nova Londrina, Estado Paraná (até a quinta geração). Ele, filho de José Fernandes de Almeida - Zeca (In Memoriam) e de Josefa Francisca da Conceição - Madinha Dona (In Memoriam). Ela, Filha de Vicente Soares Leite (In Memoriam) e Francisca Soares Feitoza - Doquinha (In Memoriam).
A coleta de dados foi organizada através de pesquisas bibliográficas, artigos, sites da internet, entrevistas presenciais, videoconferências web e em redes sociais. Juntou-se documentos com a fé pública: certidões de nascimentos, casamentos, atestados de óbitos e outros, além de fotos e imagens atuais e antigas. Através do levantamento de filiação, possibilitou reconhecer a história, a linhagem familiar e a montar a árvore genealógica. Essas informações serviram de base para compreender as proles mais antigas das famílias.
Certificou-se que contém na estirpe ramificações de vários sobrenomes, tais como: Alves; Brito; Cavalcante; Conceição; Correia; Feitoza; Jesus, Kogler; Lima, Primo; Rodrigues; Sampaio e Vieira. O desfecho deste Memorial revelou o brilhante destaque social, político, econômico, cultural e religioso das famílias, além da linhagem dos ancestrais até os seus descendentes.
As entrevistas presencias foram realizadas com os seguintes membros familiares: Purcina Soares Leite – Doninha; Cosme Soares Leite e Raimundo Fernandes de Lima – Mundoca. As entrevistas via videoconferências web foram realizadas com os seguintes membros da família: Marinalva Leite Cordeiro Silva (Nalva Leite); Antonio Luís Caracas Filho; Valdecina Rodrigues Fernandes; Wesckley Maroto Fernandes; Cleide Fernandes e Maria Fernandes de Lima.

                                 1. Foto dos pais de João e de Lêda:
                                    Acervo: Prof. Osmar Fernandes.



AS ENTREVISTAS PRESENCIAS:

RAIMUNDO FERNANDES DE LIMA – MUNDOCA (In Memoriam), realizada em sua residência, na cidade de Paranavaí/PR, em 2004, eu, Osmar, lhe fiz a seguinte pergunta: Tio, como se chamam os pais dos seus pais, seus avós paternos e maternos? E ele me respondeu: do meu avô paterno é João Fernandes de Almeida e da vó é Antônia – não me lembro o seu sobrenome; do meu avô materno é José Fernandes de Lima e o da vó é Maria Francisca de Jesus. (Falecido em 10 de julho de 2011). As informações repassadas estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido.
PURCINA SOARES LEITE – DONINHA (IN MEMORIAM), realizada na sua residência, no dia 13 de julho de 2005, terça-feira, às 12h45min.; ela falou sobre a história da família, que tinha muita saudade dos seus pais, de todos seus irmãos e irmãs, dos filhos e de toda a família, e que tinha saudades especiais do seu saudoso esposo Alberto. Sobre a sua atividade de fazer sabão no tacho; que vendia para todo mundo, dizendo: “Naquela época, o meu sabão era coisa rara, quase ninguém tinha, nem sabia fazer, era difícil encontrar nos armazéns”. Disponibilizou documentos para checagem e análise. (Falecida em 19/07/2006 - aos 96 anos). As informações repassadas estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido.
COSME SOARES LEITE (IN MEMORIAM), entrevista realizada, na residência do Osmar, em Nova Londrina, em 2007, foi lhe perguntado quantos irmãos ele tinha e os nomes deles: Ele disse que eram em número de 13 mais ele 14, falou o nome de todos, e acrescentou que, sua irmã Dulcineia tinha um apelido muito especial “Flozinha”. Que amava a sua família, filhos, sentia saudades da sua saudosa esposa Batistinha; que gostava muito de dançar xote e forró, que era campeão de dança de salão. Que era sitiante (Localidade: Quatro Marcos, Município de Marilena/PR), nascido em 03 de outubro de 1915, Araripe/CE. (Falecido na data de 26 de novembro de 2015). As informações repassadas estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido.    

AS ENTREVISTAS VIDEOCONFERÊNCIAS WEB:

          MARINALVA LEITE CORDEIRO SILVA (NALVA LEITE): Técnica em Enfermagem, na empresa Hospital Maria Auxiliadora, centro cirúrgico, Gama/DF; mora em Nova Gloria, filha de Lenier leite, neta de Adelita Soares Leite. Em contato mantido, via FACEBOOK, a partir de 14/3/2013 19:22, Eu, OSMAR, disse-lhe o seguinte: - prima, escreva uma biografia sobre a família, daí de Brasília/DF, e me envia, porque estou escrevendo a história da nossa família. Ela me respondeu o seguinte: - Eu sou neta de Adelita Soares Leite. Perdi minha mãe Lenier Leite, agora, há três meses atrás. Você sabe que a minha avó, Adelita, vai completar os 100 anos, em 20 de agosto? Hoje falei para meu Tio Leci, filho dela, que precisava achar uma foto do pai da minha avó, e, ele me falou que tinha. Prosseguimos o bate-papo, dia 23/6/2013 10:46 e, Nalva, me disse: - A minha avó Adelita não está muito boa! Estou preocupada! Gostaria mesmo, era que no seu aniversário de 100 anos, todos estivessem juntos, para tirar todas as fotos que você precisa para continuar o seu livro. Seria legal né? E eu lhe respondi: - Nossa, seria maravilhoso! (...) eu lhe perguntei sobre seus pais, e a família dela, e ela me disse o seguinte: - Minha mãe se chama: Leniêr Leite Cordeiro, ela tirou o Soares quando se casou, e meu Pai se chama José Coelho Cordeiro. Vc sabe o nome do meu avô? Esposo da minha avó, Adelita? Eles eram primos. Sabia? Era José Paulo Leite. Tem 50 anos que ele morreu! Ela nunca se casou de novo. A minha mãe também ficou 28 anos viúva e nunca se casou. Adelita Soares Leite era casada com José Paulo Leite, filhos: Lenira Soares Leite (em memória), Leonilson Soares Leite, Francisco Soares Leite (em memória), Leniêr Soares Leite – Cordeiro, casada (em memória), Leci Soares Leite, Leticia Soares Leite, Antonio Soares Leite, Lenita Soares leite (lira), casada. Tenho dois filhos: Gleydson, com 16 anos, e Maria Rita, com 6 anos; tenho 20 anos de casamento. Meu nome é Marinalva Leite Cordeiro Silva, e meu marido se chama José Taveira da Silva. Ela me falou o nome da irmã dela que vc queria saber. Eu perguntei: - Ela está bem? Leva um bolo também, passa numa confeitaria e compre um. Ela merece! Nalva, respondeu: - Sim, o bolo vai ser sábado! - Oi prima! Como foi o Terço ontem? - Nossa, foi muito lindo! Ela ficou muito feliz e ainda rezou conosco! Ela estava muito linda e sorridente. Dei os abraços e beijos que vc mandou. Então, acho que essa Idelsuite é a sogra da minha prima Lucrecia, filha da tia Novinha... sim ela mora a 70km em Formosa Goiás... Dulcinéia Soares Leite. A festa dos 100 anos, da vó Adelita, foi linda... meus sobrinhos só falavam em vc o MAICK e a Lanielle! No dia, 14/9/2013 12:00 - Oi prima, quem faleceu? Ela me respondeu: 14/9/2013 13:18, - Minha avozinha Adelita, faleceu hoje, as 9:00hs da manhã.  Eu lhe disse: - Oi prima, estou triste!!! - Nossa, imagine como eu estou, primo! - Meus sentimentos, a todos aí!  Nalva me disse:  - Ela vai ser velada, hoje, a partir das 4:00hs da tarde, e o enterro é amanhã as 11H30MIN., no cemitério do Gama/DF. (...) (As informações estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido).
          Em contato mantido com ANTONIO LUÍS CARACAS FILHO, desde 15 de maio de 2017, via https://web.whatsapp.com/, filho de: Antonio Luiz Caracas e Ana Alves de Figueiredo (irmã de Raimundo – esposo de Maria Socorro); na data de 09/7/2016, às 09H36MIN, eu lhe perguntei o seguinte:  - me coloca aí os nomes do Seu Pai, de sua Mãe e dos filhos deles. – Pais: Antonio Luiz Caracas e Ana Alves de Figueiredo, filhos: Luiz Alberto Alves Caracas, Antônio Lusiberto Alves Caracas, Maria luziana Alves Caracas, Manuel Aneziano Alves Caracas e Antonio Luiz Caracas Filho; Raimundo Alves de Brito (falecido), filho de: Antonio Alves de Figueiredo e Maria Alves de Brito, foi casado com Maria Socorro Fernandes; Madinha Dona, era prima de Ana Alves de Figueiredo. As informações repassadas estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido.
            VALDECINA RODRIGUES FERNANDES, de Parambu/CE, via videoconferências web, https://web.whatsapp.com/, dia 05 de junho de 2017, às 19H00MIN., foi lhe perguntado o seguinte: - Prima, me passa os nomes de seus pais, filhos, irmãos e os nomes dos pais do Vô Zeca e da Vó Madinha Dona, e uma foto deles?  Ela respondeu o seguinte:   - “Vou falar com o tio Silvino, via telefone, ele tem (97 anos), mora no Estado do Ceará, irmão de Madinha Dona. Eu vou lhe pedir a relação dos nomes dos seus irmãos; a foto do Vô e da Vó eu vou ver se consigo”. E dia 06 de julho de 2017, às 13H46MIN, ela me passou os nomes dos irmãos da Vó Madinha Dona: JOÃOFR; CACIMIROFR; SILVINOFR; ANTONIOFR; MANOELFR; VICENTEFR; CHICOFR; JOSÉFR; CILIROFR; MARIACOTA; IDALINAFR; ESTERFR; GRAÇAFR. As informações repassadas estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido.
Em contato mantido com WESCKLEY MAROTO FERNANDES, de Cuiabá/MT, via videoconferências web, https://web.whatsapp.com/, dia 03 de julho de 2017, às 15H13MIN., foi lhe solicitado o seguinte: - Boa tarde, meu sobrinho! Passa o nome de sua filha completo e o nome da mãe dela também? No dia 03 de julho de 2017, às 22H29MIN., ele respondeu: - “Filha: Iasmin da Silva Maroto; minha esposa: Leonina Pereira da Silva Maroto”. As informações estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido.
Em contato mantido com CLEIDE FERNANDES, via FACEBOOK, na data de 1/7/2016, 18:27, filha de Menininha, neta de Lobélia Soares Leite, eu lhe perguntei o seguinte: - Boa noite! Tudo bem? Você é minha prima? - Sou filha de menininha. Ah, sim! Então somos parentes, sim. Na data de 07 de julho de 2017, as 01:59 - Oi prima, tudo bem? - Oi primo, tudo, e vocês como estão? - Prima, envia-me fotos de sua mãe, fotos antigas tb e sua... escreva uma biografia de vcs para eu pôr no memorial da família que faço há muito tempo. - Ok primo, amanhã farei isso... e eu vivo curtindo suas fotos kkk muito legal! - Vc conhece a família de Antonio Soares, de Adálio? - Não. Mais já ouvi falar. - É que preciso da foto de Antonio Soares. – Ah, tá! Vou falar com tia Aldeide, você a conhece? Ela deve ter! Minha mãe ficou viúva com três filhos e depois casou-se novamente e teve mais 10 filhos kkk. - Alexandrina Gonçalves Fernandes (Menininha), é o nome certo dela? - Sim. - E do seu pai e dos seus irmãos e meios-irmãos? - Joaquim, Sandra, Izabel, Ana, Walter, Sidnei, Neide, José, Cleide e Atamiro; do meu pai é Jucier Fernandes. Prosseguimos nossa bate-papo, às 7H13MIN, pelo https://web.whatsapp.com/: - Seu esposo como se chama, e seus filhos? Fala para eu colocar no memorial da família. - Esposo: Edivaldo Clara dos Santos meu marido; filhos; Kleber Clara dos Santos keity Clara dos Santos e Karolline Clara dos Santos. - Obrigado, pela sua atenção! Quero um dia conhecer todos vocês. - Eu tbm gostaria de conhecer vcs todos, conheci seu pai, tia Lêda; eu assistia televisão na casa dos seus pais, a novela irmãos coragem kkk. Enviei o quadro coletivo de Mãezinha e lhe disse: - Veja aí, só tenho foto de mãezinha, de Antonio Soares Primo, não tem. Já solicitei pra muita gente e ninguém nunca me enviou. Se tiver me manda. E vc me ajuda com as fotos do meu tio-avô Antonio Soares (pai de Adálio), não tenho fotos dele. E Também do meu avô Antonio Soares Primo, esposo de Mãezinha. Veja isso aí pra mim, prima, faz tempo que tento encontrar essas fotos... Se tiver documentos como certidão de casamento, atestado de óbito, escaneie-os e me envia também. Cada um deles tem informações preciosíssimas para a história que estou montando sobre a nossa família. Mas, preciso dessas informações. - Pode deixar que vou tentar bjos foi bom conversar com vc. As informações estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido.
Em contato mantido, via, https://web.whatsapp.com; às 19H17MIN, de 17 de julho de 2017, com MARIA FERNANDES DE LIMA (esposa de Valdivino Antonio da Silveira; de Alfenas, Minas gerais), filha de: João Fernandes de Lima e de Severina Gregório Fernandes. Osmar S. Fernandes lhe perguntou o seguinte: - Boa noite, prima! O que você pode falar sobre a nossa família? E ela me disse o seguinte: meu pai é irmão da tia Dona, sua vó; meu pai é padrinho de batismo e tio do seu pai e tinha o mesmo nome. Então lhe perguntei da seguinte forma: - Eu tenho os nomes dos irmãos da Vó Dona, mas tenho dúvidas se estão ou não corretos, como escrevo o Memorial da família, tento obter informações mais próximas do real... Peça pra sua mãe me colocar os nomes corretos dos nomes de todos os irmãos da Vó, por gentileza! - A minha mãe mora comigo está com 93 anos; eu sei o nome de tds; - Digita aí, por favor! - Tia Dona; tia Indalina; tia Maria Cota; e tia Francisca; os homens: meu pai João Fernandes de Lima; tio Manoel Fernandes; tio Vicente Fernandes; tio Cassimiro Fernandes; tio Antonio Fernandes; Raimundo Fernandes; tio Chico Fernandes; tio Silvino Fernandes; Acho que não esqueci de Alguém; Ah, tem o tio Ciliro, também; A minha mãe está mandando um abraço p vc tbm; Desculpe a demora, é muita gente, fiquei pensando em cada um kkk; Ciliro Fernandes. Ela me enviou uma foto da mãe dela dançando com Valdivino, e eu lhe perguntei o seguinte: - Como se chama sua mãe, o nome completo? Ela tá lindona!!! Bjos pra ela. - Severina Gregório Fernandes. - Prima, seu nome completo é só Maria Fernandes? E os nomes de seus irmãos? Manda aí também para eu pôr no Memorial da Família. - Maria Fernandes de Lima. Somos 8 irmãos: Francisco Diassis Fernandes de Lima; Adalberto Fernandes de Lima; Marilsa Fernandes de Lima; Ivanilda Fernandes de Lima; Creuza Fernandes de Lima; Carlinhos Fernandes de Lima e Antonio Carlos Fernandes de Lima. - Valeu, prima! Peça para sua mãe se ela tem fotos da família, antigas. Fala pra ela se tiver fotos da minha avó Madinha Dona, que poste aqui para eu capturá-la. As informações repassadas estão transcritas neste memorial, no capítulo de que trata o grau de parentesco correspondido.
De acordo com a investigação elaborada, chegou-se a árvore genealógica da quinta geração, Pentavós maternos – 5º avós (Parte da trisavó Doquinha e do Trisavô Vicente): do bisneto de João Fernandes de Almeida e de Lêda Soares de Almeida (neto de Osmar Soares Fernandes e Leny Gomes Gilglioli – JOÃO VITOR FERNANDES SÔDA (filho de Jackeline):

JOÃO VITOR FERNANDES SÔDA:

Pais: Luís de Paula Sôda e Jackeline Soares Gilglioli Fernandes;
AVÓS PATERNOS: 
Pais de Luís: JOSÉ FRAUZINO SÔDA E MERCEDES DE PAULA SÔDA;
Bisavós paternos:
Pais de José Frauzino: Geraldo Frauzino Sôda e Leontina Sôda;
Pais de Mercedes: Ataíde Machado (...). 
AVÓS MATERNOS:
Pais de Jackeline: OSMAR SOARES FERNANDES E LENY GOMES GILGLIOLI;
Bisavós maternos:
Pais de Osmar: João Fernandes de Almeida (In Memoriam) e Lêda Soares de Almeida;
Pais de Leny – Edi Gilglioli (IN MEMORIAM) e Guiomar Gomes Gilglioli;
Trisavós maternos:
Pais de João – José Fernandes de Almeida – Zeca (IN MEMORIAM) e Josefa Francisca da Conceição – Madinha dona (IN MEMORIAM);
Pais de Lêda – Vicente Soares Leite (IN MEMORIAM) e Francisca Soares Feitoza – Doquinha (IN MEMORIAM);
Pais de Edi – Humberto Gilglioli (IN MEMORIAM) e Maria Angelina Vingi (IN MEMORIAM);
Pais de Guiomar – Manoel Rodrigues Gomes (IN MEMORIAM) e Deolinda Maria de Jesus (IN MEMORIAM);
Tetravós maternos (somente por parte de João e Lêda “trisavós maternos”):
Pais de Zeca – João Fernandes de Almeida (IN MEMORIAM) e Antônia Fernandes de Lima (IN MEMORIAM);
Pais de Madinha Dona – José Fernandes de Lima (IN MEMORIAM) e Maria Francisca de Jesus Fernandes (IN MEMORIAM);
Pais de Vicente – Antônio Soares Primo (IN MEMORIAM) e Alexandrina Marcelina do Amor Divino – Mãezinha (IN MEMORIAM);
Pais de Doquinha – João Alves Cavalcante – Zuca (IN MEMORIAM) e Maria de Lima Sampaio – Mainha (IN MEMORIAM);
Pentavós “maternos” – 5º avós (Parte da trisavó, dos pais de Doquinha; e do Trisavô somente parte da mãe de Vicente):
Pais de Zuca – Eufrazio Alves Cavalcante (IN MEMORIAM) e Maria Alves Feitoza (IN MEMORIAM);  
Pais de Mainha – José Rodrigues de Lima (IN MEMORIAM) e Maria de Jesus Sampaio (IN MEMORIAM);
Pais de - Alexandrina: José Leite da Silva (IN MEMORIAM) e Vicência Maria da Conceição (IN MEMORIAM).

HISTÓRIAS DA FAMÍLIA E ALGUNS ACONTECIMENTOS DO BRASIL E DO MUNDO:
2. Foto de Alexandrina - Mãezinha.
 Acervo: Prof. Osmar Fernandes.

ALEXANDRINA MARCELINA DO AMOR DIVINO – MÃEZINHA (IN MEMORIAM), nascida na data de 02 de junho de 1880, Rio Grande do Norte/RN, e falecida na data de 20 de abril de 1976 (aos 96 anos), na cidade de Nova Londrina/PR, está sepultada no Cemitério Municipal "São Apóstolo Paulo" de Nova Londrina/PR; Filha de: José Leite da Silva e de Vicência Maria da Conceição; cônjuge: Antônio Soares Primo (Casaram-se na cidade de Farias Brito/CE), nascido em Aurora/CE, fazendeiro em Mineiro e Crato/CE, falecido aos 62 anos de idade; Filhos (14): 1 - Osmídio Soares Leite (falecido); 2 - Antônio Soares Leite (falecido); 3 - Cosme Soares Leite - falecido; 4 - Cazuza Soares Leite (falecido); 5 - Espedito Soares Leite (falecido); 6 - Jesus Soares Leite (falecido); 7 - Adília Soares Leite (falecida); 8 - Lobélia Soares Leite (falecida); 9 - Purcina Soares Leite - Doninha (falecida); 10 - Adelita Soares Leite - (falecida); 11 - Alzira Soares Leite (falecida), 12 - Florisbela Soares Leite (falecida); 13 - Dulcinéia Soares Leite - Flozinha (Falecida) e 14 - Vicente Soares Leite (In Memoriam).
Familiares mais antigos contam que, seu jeito nordestino era muito presente em seu cotidiano, conhecia a vida da família como ninguém. Exímia cozinheira, sua culinária era, predominantemente, nordestina e italiana. Contadora de histórias e estórias e tinha um jeito especial e engraçado de contar os casos e causos de arrepiar o cabelo. Era protetora e queria todo mundo sempre à sua volta. Longevidade: dois filhos ultrapassaram ao centenário de vida, Cosme faleceu aos 100 anos e 55 dias, e, Adelita aos 100 anos e 26 dias:
Dos 14 filhos de Alexandrina M. do Amor Divino e Antônio Soares Primo, dois ultrapassaram ao centenário: Cosme Soares Leite (IN MEMORIAM), nascido em 03 de outubro de 1915 - Araripe/CE, falecido na data de 26 de novembro de 2015, (100 anos e 55 dias), sepultado no Cemitério Municipal São Apóstolo Paulo de Nova Londrina, Estado do Paraná; e, Adelita Soares Leite (IN MEMORIAM), nascida na data de 20 de agosto de 1913 - Crato/Ce (Quarta-feira), signo-leão e, falecida na data de 14 de setembro de 2013, sábado, às 09H:00MIN, em sua casa, (100 anos e 26 dias), sepultada no Cemitério do Gama/DF. Na comemoração dos seus 100 anos: foi feita uma belíssima festa de aniversário, onde compareceram familiares e amigos. Marinalva Leite Cordeiro Silva (Nalva Leite), juntamente com a colaboração de familiares, confeccionaram várias camisetas e banners para celebrarem a festa (arte da camiseta foi elaborada por Nalva Leite e a frase: “MINHA LONGEVIDADE É O RESULTADO DO AMOR ENTRE MINHA FAMÍLIA E DEUS!” – Foi de autoria do Prof. Osmar Soares Fernandes”, que ganhou duas camisetas, enviadas, por Nalva, via correio.
                                 3. Foto de comemoração do Centenário de vida.
                                    Acervo: Prof. Osmar Fernandes.

                                  4. Foto de comemoração do Centenário de vida.
                                 Acervo: Prof. Osmar Fernandes.

ALGUNS ACONTECIMENTOS HISTÓRICOS DO BRASIL E DO MUNDO DURANTE SUA ESTADIA NO PLANETA TERRA: DE 02 DE JUNHO DE 1880 ATÉ 1976:

03/06/1880 - Inauguração Do Teatro Lucinda do Rio de Janeiro/Brasil;
07/06/1880 – Benjamim Zorrilla assume o cargo de Ministro de Relaciones Exteriores;
1880 - Descoberta do ‘efeito piezelétrico’, utilizados em dispositivos como os transdutores, empregados na reprodução de discos e nos microfones. Werner von Siemens introduziu o motor elétrico na construção de elevadores
1888 – Após seis dias de votações e debates no Congresso, a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, 13 de maio, que decretava a libertação dos escravos no país.
1888 - Thomas Edson inventou o cinetoscópio e desenvolveu um fonógrafo através do qual o som podia ser gravado num cilindro de papel de estanho. Bernardo Guimarães Mascarenhas construiu a usina Marmelos Zero, próxima a Juiz de Fora (MG), primeira hidrelétrica de utilidade pública no Brasil e na América Latina. Ministério da Marinha criou a sua Repartição Central Meteorológica e começou a instalar postos meteorológicos em vários pontos do território nacional.
1889 - A Proclamação da República Brasileira foi um levante político-militar ocorrido em 15 de novembro de 1889, que instaurou a forma republicana federativa presidencialista do governo no Brasil, derrubando a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil e, por conseguinte, pondo fim à soberania do imperador D. Pedro II.
1900 - Sigmund Freud publica A Interpretação dos Sonhos, marco inicial da psicanálise.  Nasce a ciência da genética, pela redescoberta dos trabalhos de Mendel. O sistema métrico foi ampliado para converter-se no sistema MKS (metro-quilograma-segundo), iniciais de suas unidades fundamentais.
1905 – Albert Einstein publicou a teoria da relatividade.  Foi inventado o tubo eletrônico de diodo.  Para identificar o grau de inteligência dos alunos de uma escola, o psicólogo francês Alfred Binet desenvolve o teste de QI.
1906 – Santos Dumont realizou na França o primeiro voo, com seu 14 Bis, oficialmente comprovado de uma aeronave mais pesada que o ar provido de motor. Leo Hendrik Baekeland inventou a resina sintética conhecida posteriormente como baquelita. John Thomson recebeu o Prêmio Nobel de Física por seu trabalho sobre a condução da eletricidade através dos gases.
1914-1918 – A Primeira Guerra Mundial, dividiu-se em 3 partes: 1 - Guerra de movimento: momentos iniciais do conflito. O jogo de Alianças e as hostilidades arrastaram vários países para o conflito; 2 - Guerra de Trincheiras: consistia na construção de trincheiras pelos alemães em solo francês. Nesse momento foram introduzidas novas armas como as metralhadoras e os tanques. 3 – Ofensivas.
1919 – Francis William Aston construiu o primeiro espectômetro de massas, com o qual demonstrou que muitos elementos são a mistura de dois ou mais isótopos.  Ernest Rutherford divide artificialmente um átomo
1939 a 1945 – A Segunda Guerra Mundial foi um conflito militar, envolvendo a maioria das nações do mundo — incluindo todas as grandes potências — organizadas em duas alianças militares opostas: os Aliados e o Eixo. Está entre os acontecimentos mais catastróficos da história da humanidade, com um índice de mortos que varia entre 60 e 70 milhões. Nesse contexto, o episódio das bombas atômicas lançadas sobre o solo japonês, nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, em agosto de 1945, revelou ao mundo até que ponto o homem é capaz de semear a destruição.
1958, 1962 e 1970 – Seleção brasileira de futebol (tricampeã do mundo).
1964-1985: Em 31 de março de 1964, militares contrários ao governo de João Goulart (PTB) destituíram o então presidente e assumiram o poder por meio de um golpe. O governo comandado pelas Forças Armadas durou 21 anos e implantou um regime ditatorial.
1969 – O homem pisa pela primeira vez na Lua, em 20 de julho de 1969, com os tripulantes da Apollo 11. Neil Armstrong e Edwin Aldrin desceram ao solo lunar num módulo de pouso, enquanto Michael Collins ficou girando em torno da Lua.
1974 –­ Governo Ernesto Geisel, governou o Brasil – de 15 de março de 1974 a 15 de março de 1979.
                                                           
                                                       5. Foto de Maria – Mainha
                                                   Acervo: Prof. Osmar Fernandes.

MARIA DE LIMA SAMPAIO – MAINHA (IN MEMORIAM), nascida em 24/05/1892 - Barbalha/CE, signo – gêmeos; filha de: José Rodrigues de Lima e Maria de Jesus Sampaio; casou-se aos 20 anos de idade com João Alves Cavalcante (Zuza), na cidade de Assaré/Ce, Registro Civil – Luiz Gonzaga da Silva Freire do Distrito de Assaré/CE, casamento n.º 254, fls. n.º146v, livro B-2, matrimônio contraído perante o Dr. José Leocádio Alves Souza, em 29 de outubro de 1912; falecida em 11 de janeiro de 1982, às 03:00 horas, na cidade de Várzea Grande MT, em casa, aos 89 anos de idade; foi professora, poetisa, tocava pistom e gostava de declamar poesias; filhos: Francisca Soares Feitoza (Doquinha - falecida) e Jesus Alves Feitoza (falecido), Maestro, Cantor e Compositor.  IRMÃ FEITOZA, como era conhecida carinhosamente pela irmandade da Congregação (Era evangelista e por Dom de Deus exercia a piedade da Congregação Cristã no Brasil, Nova Londrina, Estado do Paraná. Era assídua pregadora da Bíblia para os familiares, e boa parte da família, hoje, é batizada, graças aos seus ensinamentos e devoção”.
VICENTE SOARES LEITE (IN MEMORIAM), nascido em 25 de abril de 1912, Crato/CE, quinta-feira, signo – touro, e falecido na data de 31 de agosto de 1994, segunda-feira (aos 82 anos), sepultado na cidade de Monte Negro/RO; cônjuge: Francisca Soares Feitoza – Doquinha (Falecida); religião: Evangélico da Congregação Cristã no Brasil. Foi Enfermeiro por 05 anos no Estado do Ceará/CE; foi o primeiro empreiteiro de Nova Londrina, Estado do Paraná – Pioneiro, que, à frente de 40 homens, dedicou-se à empreita de abrir as primeiras ruas, tudo à base da foice, do facão, do machado e da enxada; foi lavrador, sitiante; 2º delegado (por 04 anos) nos municípios de Nova Londrina/PR e Marilena/PR. Foi o ilustre proprietário do Sítio da Sangra Seca, por longos anos.
FRANCISCA SOARES FEITOZA – DOQUINHA (FALECIDA), nascida na data de 26/11/1918, Terça-feira, signo – sagitário; e falecida em 19 de dezembro de 1989, quarta-feira (aos 71 anos de idade), sepultada em Cabixi/RO; cônjuge: Vicente Soares Leite; religião: Evangélica da Congregação Cristã no Brasil; Professora Primária no Ceará; Poetisa e declamadora – poema favorito: O Pássaro Cativo de Olavo Bilac; cor predileta – vermelho; Parteira no município de Nova Londrina/Pr. Seu neto Osmar Soares Fernandes, nasceu em suas mãos, na cidade de Nova Londrina/PR, localidade de Sangra Seca, 01 de fevereiro de 1961. Já casado, ele contraiu uma hérnia no saco escrotal (ao redor dos testículos), e estava de cirurgia marcada; e falou para sua avó Doquinha, que estava com medo...  Ela lhe ensinou seguinte simpatia: - “Você compra um metro de pano de linho branco (bem alvinho), procure uma árvore de leite, que fique perto da nascente de um córrego, molhe o pano, torça-o bem, e limpe o local da enfermidade, três vezes; volte até a árvore e corte-a, descascando-a, um palmo mais ou menos, coloque o pano e tampe com a casca de forma que o pano fique colado. Vá se embora e nunca mais volte a essa árvore”. O neto se curou e nunca mais sentiu dor nenhuma e a hérnia desapareceu (Ele tinha 21 anos; para jogar bola, tinha que colocar um cinto apropriado para a hérnia não sair para fora; quando saía para fora tinha que colocar as pernas para cima, numa parede, e colocá-la para dentro; um sofrimento terrível e inesgotável... hoje, com 57 anos, nunca mais sofreu as dores de hérnia.
ANÍZIO CORRÊA DOS SANTOS, aposentado pela Polícia Civil do Estado do Paraná, Funcionário de Carreira do Detran-PR, nascido em 05/11/1935, terça-feira, Garanhuns/PE, signo – escorpião, Religião: Evangélico (Igreja Congregação Cristã no Brasil), Diácono da Congregação na cidade de Itapema/SC; cônjuge: Neda Soares Feitoza dos Santos, filhos: Rosemary, Roseney e Rosevan; foi o primeiro chefe do posto do Detran, em Nova Londrina, Estado do Paraná.
CÍCERO ALVES DE QUEIROZ (IN MEMORIAM), nascido em Buíque/PE, 2.º grau completo; Despachante de Trânsito – foi proprietário da Autoescola Queiroz, na cidade de Nova Londrina/PR (Pioneiro), e na cidade de Várzea Grande/MT; Faleceu em 25/12/1998, Loanda/PR, está sepultado na cidade de Marielena/PR.; filho de: Manoel Alves de Queiroz e Maria Alves de Queiroz; cônjuge: Ieda Soares de Queiroz;  casaram-se na data de 14 de setembro de 1961, no Município de Nova Londrina PR; filhos: Wanderley; Wanda, Wolney, Waldiney e Vanusa (Criação); irmãos: Pedro Alves Queiroz, Antonio A. de Queiroz, José A. de Queiroz, Elias A. de Queiroz, Manoel A. Queiroz, Lurdes e Maria do Socorro; Parentes: José Ramos dos Santos (Jaiminho), nascido 16 de outubro de 1946, Itaíba/PE, casado com Luíza Alves dos Santos – filha de Antonio Alves de Queiroz e Alexandrina Alves de Queiroz, filhos: Manoel Ramos dos Santos (Jaudir), Jailza Ramos dos Santos, Jaldemir Ramos dos Santos, Jailma Ramos dos Santos.
RAIMUNDO FERNANDES DE LIMA - MUNDOCA (IN MEMORIAM), nascido em 21/05/1940 e falecido em 10 de julho de 2011 (sepultado na cidade de Marilena, no mesmo túmulo de sua primeira esposa). Foi sitiante e comerciante; foi Presidente do Sindicato Rural da cidade de Marilena/PR; e, foi Vereador nos mandatos: 1989 a 1992 e 1993 a 1996, na cidade de Marilena/PR.
AGUINALDO FERNANDES DE LIMA, filho de Raimundo Fernandes de Lima - Mundoca (In Memoriam) e de Maria Socorro de Souza (In Memoriam); foi Vereador no Município de Nova Londrina/PR, mandato: 1997/2000 (seu tio, João Fernandes de Almeida (In Memoriam), era o prefeito; Trabalhou como jardineiro profissional na Espanha durante 15 meses.
JOÃO FERNANDES DE ALMEIDA (IN MEMORIAM), foi peão, gato, chacareiro, sitiante, fazendeiro de café; Vereador e Prefeito. Entrou na política e se elegeu Vereador: 5ª Legislatura: 31/01/1973 a 31/01/1977; 6ª Legislatura: 31/01/1977 a 31/01/1983, 7ªLegislatura: 31/01/1983 a 31/01/1989 e 8ª Legislatura:31/01/1989 a 31/01/1993; e foi Presidente do Poder Legislativo: na gestão 1991/92. Atividades Parlamentares na Câmara de Vereadores de Nova Londrina/PR: Autor do projeto para a construção da Rodoviária - situada na Vila Andradina; “Constituinte” 1990, integrante da Comissão de Sistematização, como Relator Presidente; nas Comissões Temáticas como Relator da Lei Orgânica do Município de Nova Londrina em 1990; e outros inúmeros projetos de cunho social (...). 1996 - Foi eleito prefeito para o mandato de 1997 a 2000, vindo a falecer, no exercício do mandato, na data de 29 de julho de 2000, dormindo, ao lado da sua querida esposa, Lêda Soares de Almeida. Principais obras: Asfalto do Bairro Vila Operária (Buracão); Asfalto em algumas ruas da Vila Fumaça; Asfalto na Vila Andradina; Asfalto nas ruas da Quadra Amarela; Posto de saúde, com atendimento: 24 horas; reestruturou o esporte; 07 a 11 de fev.1997 – 1º. Carnaval de Rua de Nova Londrina - PR, "Agora Vai!"; Manutenção e Ampliação de Galerias de águas pluviais do Município; Asfalto até o Seminário, rumo à Sangra Seca; Capela Mortuária - projeto e liberação de verbas em sua gestão; Colocou a folha de pagamento do funcionalismo em dia; Compra de Equipamentos e Reestruturação do Centro odontológico e do Posto de Saúde Municipal; Doação de 54 lotes às famílias carentes do Município (Jd. Aeroporto); Término e Manutenção da Vila Rural Itio Kondo; Implantação do Posto de fiscalização Municipal em parceria com o Município de Loanda/PR; Funcionamento do Núcleo Regional de Educação em Nova Londrina; Assinou Convênio junto ao Governo do Estado do Paraná, para que a manutenção do asfalto de Paranavaí até a entrada da cidade de Nova Londrina, fique a cargo da praça de pedágio; A reestruturação da frota de maquinários, equipamentos e a compra de novos veículos, patrolas, ônibus, etc. Escriturou os 27 lotes do Assentamento Brisanta de Nova Londrina/PR. O prefeito "João Fernandes de Almeida" reconquistou a credibilidade social, política e financeira do Município (Esse foi o seu maior legado).  A Avenida Jacarezinho, da cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná (AV. PRINCIPAL DO BAIRRO CONJUNTO HABITACIONAL PAPA JOÃO PAULO II - 180 CASAS), passou a se chamar: Av. Prefeito João Fernandes de Almeida "Em sua homenagem, 2007".
OSMAR SOARES FERNANDES, Professor, escritor, poeta, palestrante, historiador e psicopedagogo (pós-graduado em psicopedagogia clínica e institucional pela FATEC/PR); nascido na data de 01 de fevereiro de 1961, quarta-feira, na cidade de Nova Londrina/PR/Brasil; (nova-londrinense); às 09H00MIN (nove horas), em casa, na Sangra Seca (Zona rural); parteira: Vó Doquinha; filho de: João Fernandes de Almeida e Lêda Soares de Almeida; Cônjuge: Janaína Bárbara Ferreira Fernandes, filhos: Tharcísio, Tharsila e Rafael; Filhos do primeiro casamento, com a ex-esposa Leny Gomes Gilglioli: Jackeline, Dayanne, Thábata Fernanda e Moisés; 1981/1982 - Presidente da Associação de Moradores do Conjunto Habitacional, Papa João Paulo II (180 casas, na cidade de Nova Londrina/PR);  1981 a 1983 – exerceu a função de Chefe do Departamento de Habilitação da 45ª CIRETRAN (Circunscrição Regional de Trânsito), na Cidade e Comarca de Nova Londrina/PR; em 15 maio de 1991 – foi agraciado com o Título Honorífico “CIDADÃO VARZEA-GRANDENSE”, em sessão solene realizada no plenário da Câmara pela Câmara Municipal do Município de Várzea Grande/MT; 1989 a 1993 –  foi Assessor do Poder Executivo Municipal na cidade de Várzea Grande/MT; foi presidente Sindicato dos Despachantes e das Autoescolas de Trânsito do Estado de Mato Grosso  (SINDAED/MT), nos mandatos: 1985 a 1988; 1992 a 1994 e 1995 a 1996; de 12/09/1995 a 15/07/1997 – foi 1º Vice Presidente da Federação Nacional dos Despachantes Públicos (FENADESP/SP); foi Assessor – Chefe de Gabinete na Prefeitura Municipal de Nova Londrina/PR – 1997 a 1998; foi Secretário de Obras, Viação e Serviços Urbanos – na cidade de Nova Londrina/PR  - 1998 a 1999; foi Presidente do Time de futebol do “Nova Londrina Esporte Clube - 1997/98”; foi Presidente da Comissão Organizadora do 1º Carnaval de Rua da cidade e Comarca de Nova Londrina/PR, 1997/98; em 19/11/2004, foi Agraciado com a MEDALHA DE MÉRITO FERNANDO AMARO, pela Câmara Municipal de Curitiba/PR – indicação – Vereadora Julieta Reis, sessão solene realizada no plenário da Câmara, presidida pelo vereador José Aparecido Alves (PSB), prêmios a profissionais de literatura paranaense, com fundamento na Lei nº 7.190 de 16 de junho de 1988, pelo destaque alcançado na área cultural do Estado; em setembro de 2005, exerceu a função de “RADIALISTA” na Rádio Adecis, 104,9 MHZ, “RÁDIO COMUNITÁRIA”, situada na Rua Estados Unidos, n.º l8, na cidade de Itaúna do Sul, Estado do Paraná, Programa “DE BEM COM A VIDA”; foi Vereador (PSB), na cidade de Nova Londrina, por 2 anos, mandato 2013 a 2016; desde de 1994 até a presente data exerce a função Professor de História, na rede pública, ensino Fundamental e Médio. Escritor com 06 livros publicados: 1993 - Luar do Sol, lançado no auditório da UNIC/MT; 1997 - Sonhos e Destinos, Registro de Direito Autoral n.º 134.652, Livro 214, Folha 112 - Fundação Biblioteca Nacional, lançado na Casa da Amizade na cidade de Nova Londrina/PR; 1999 - A Loira da Matão, Registro de Direito Autoral n.º 191.181, Livro 327, Folha 337 – Fundação Biblioteca Nacional, lançado na cidade de Balneário Camboriú/SC; 2001 - Espelho de Cristal - Registro Direito Autoral n.º 252.135, Livro 449, Folha 295 – Fundação Biblioteca Nacional, lançado na Casa da Cultura de Paranavaí/PR; 2003 - Crisálida – a motivação da vida, Direito Autoral n.º Registro 299.384, Livro 544, Folha 44 – Fundação Biblioteca Nacional/RJ, lançado na cidade de Curitiba/PR; 2010 – Nova Londrina, Rainha do Noroeste, 60 anos de história, ISBN n.º 978-85-911038-0-5, Registro de Direito Autoral na Fundação da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, Lançado em 31 de julho de 2010 – Anfiteatro Municipal Prefeito Avelino Antônio Colla – Nova Londrina/PR. Participação em Antologias de Poesias, Contos e Crônicas: Editora Scortecci/SP: 1997 - Volume V – páginas 103 a 107; 1999 - Volume III, páginas 103 a 109 – (BIENAL) - Salão Internacional do Livro de São Paulo. Palestrante – Relação de algumas palestras proferidas, Tema: A MOTIVAÇÃO DA VIDA: 14/abril/2004 – 20º Batalhão de Infantaria Blindado, Comandante: Carlos Eduardo Bornhausen Cardoso – Tenente Coronel; proferida aos Oficiais, subtenentes e Sargentos, "CMS – 5ª RM/ de -5ªBDA INF BLD 20º BIB (20º RI 1942) – BTL SGT MAX WOLFF FILHO – Curitiba/PR; 08/junho/2004 – 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsora – "GRUPO SALOMÃO DA ROCHA" -, Quartel em Curitiba, Cel. Comandante – Senhor - Marco Aurélio Gomes de Mello; 29/abril/2005 – Para os funcionários do Supermercado Colina – Ingleses – Florianópolis/SC, (48) 3269-1676 – Sr. Paulo ou Srª. Ivana; Univale de Tijucas de Santa Catarina; Scelisul – Faculdades Integradas do Vale do Ribeira de Registro/SP; Unipar – Universidade Paranaense de Paranavaí – PR; Fafipa – Faculdade de Paranavaí/PR; Unic – Universidade de Cuiabá/MT; Puc – Universidade Católica do Paraná, Curitiba – PR; Faculdades São Judas Tadeu de Pinhais PR; Faculdades Uniandrade de Ponta Grossa – PR; 29/maio/2002 - Colégio Estadual Rui Barbosa de Souza de Agudos do Sul, Pr, proferida exclusivamente aos professores; Colégio Estadual do Paraná, Curitiba – PR.
Em razão da colonização do nosso país, temos uma grande diversidade na origem das famílias. Em nosso país, as famílias brasileiras apresentam características próprias e maneiras de se organizar bem diferentes. Nossos povos são de diferentes origens como indígenas, africanos, portugueses, espanhóis, alemães e muitos outros povos. As tradições e costumes de uma família são passados de geração para geração. 

“Não foi, portanto, nem o estado nem o Direito que criaram a família, pois foi esta que criou o Estado e o Direito, como sugere a famosa frase de Rui Barbosa:  ‘A pátria é a família amplificada’.  Como a primeira base da organização social, a família deve ser tutelada pelo ordenamento jurídico vigente”.

A Constituição Brasileira afirma que a família é a base da sociedade e tem proteção do Estado e deixa sua definição em aberto, aduzindo apenas que se entende, também, como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes.

Art. 226 da Constituição Federal de 1988, A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado “§ 3º Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento”.   
                       
O vocábulo família pode possuir vários significados para as diversas áreas das ciências humanas, como a sociologia, a antropologia ou o direito. No entanto, para os fins deste estudo, limitar-se-á aos conceitos trazidos pela ciência jurídica.  A legislação pátria não apresenta um conceito definido da família. Assim, tome-se para efeitos didáticos as três acepções do vocábulo família elencados por Maria Helena Diniz, que são o sentido amplíssimo, o sentido lato e a acepção restrita.
Durante a montagem do Memorial ficou evidenciado nas certidões de nascimentos, casamentos, atestados de óbitos e outros, as ramificações de vários sobrenomes, tais como: 1 - Alves; 2 - Brito; 3 - Cavalcante; 4 - Conceição; 5 - Correia; 6 - Feitoza; 7 – Jesus; 8 -  Kogler; 9 - Lima, 10 - Primo; 11 - Rodrigues; 12 Sampaio e 13 - Vieira:
 1 - JESUS ALVES FEITOZA (IN MEMORIAM), filho de Maria de Lima Sampaio - Mainha (IN MEMORIAM) e de João Alves Cavalcante - Zuza (IN MEMORIAM);
2 - MARIA FERNANDES BRITO (SOCORRO), filha de José Fernandes de Almeida - Zeca (IN MEMORIAM) e de Josefa Francisca da Conceição - Madinha Dona (IN MEMORIAM);  
3 - JOÃO ALVES CAVALCANTE - ZUZA (IN MEMORIAM), esposo de Maria de Lima Sampaio - Mainha (IN MEMORIAM);  
4- JOSEFA FRANCISCA DA CONCEIÇÃO - MADINHA DONA (IN MEMORIAM), mãe de João Fernandes de Almeida;
5 - ALBERTO CORREIA LEITE – GALO (FALECIDO), esposo de Purcina Soares Leite - Doninha (IN-MEMORIAM);
6 - FRANCISCA SOARES FEITOZA - DOQUINHA - (IN MEMORIAM), mãe de Lêda Soares de Almeida;
7 – MARIA DE JESUS SAMPAIO (IN MEMORIAM), mãe de Maria de Lima Sampaio “Mainha” (IN MEMORIAM);
8 - MARIA KOGLER LEITE (IN-MEMORIAM), esposa de Aluísio Correia Leite.
9 – MARIA FRANCISCA DE LIMA (IN MEMORIAM), mãe de Josefa Francisca da Conceição – Madinha Dona (IN MEMORIAM);
10 - ANTÔNIO SOARES PRIMO (IN MEMORIAM), esposo de Alexandrina Marcelina do Amor Divino (Mãezinha);
11 - MARIA FERNANDES RODRIGUES (IN MEMORIAM), irmã de João Fernandes de Almeida;
12 - MARIA DE LIMA SAMPAIO - MAINHA (IN MEMORIAM), mãe de Francisca Soares Feitoza – Doquinha (IN MEMORIAM);
13 - FRANCISCA FERNANDES VIEIRA (CHIQUINHA), esposa de Sebastião Vieira – Tião (IN MEMORIAM).
NA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA ELABORADA E ANALISADA, EXAUSTIVAMENTE, PÔDE-SE APURAR AS SEGUINTES ORIGENS DAS FAMÍLIAS:
A família FERNANDES/FERNANDEZ: Nome português/espanhol de origem patronímica, filho de Fernando. Já o nome Fernando, do qual deriva o sobrenome, vem do germânico Frithunanths ("frithu" [paz] + "nanths" [audaz, corajoso]), com o sentido de intrépido na defesa da paz, latinizado em Fredenandus e, posteriormente, em Fernandus.
A FAMÍLIA ALMEIDA: Surgiu em Portugal embora a sua palavra seja constituída do árabe. Seu significado é al (a) meida (mesa). Dessa forma, no seu sentido geográfico remete ao planalto, ao chão plano. Ele tem a sua origem considerada toponímica, geográfica, uma vez que existia um castelo chamado Castelo de Almeida, onde passou se a adotar o sobrenome “de Almeida” que posteriormente foi passado aos descendentes.
O NOME SOARES, é um sobrenome classificado como patronímico de origem portuguesa e espanhola, sendo baseado no nome próprio Soeiro, que por sua vez vem do latim suarius, que significa “pastor de suínos”. No português arcaico era comum este nome ser registrado como Soáriz ou Suáriz.
Já A FAMÍLIA LEITE é um sobrenome de origem portuguesa e primitiva. Ele vem derivado de uma alcunha, um apelido. Geralmente, esse tipo de origem se dá pelo fato de o portador inicial ter alguma característica física ou condição à qual lhe fez receber o apelido. Ao que parece, o caso da família Leite foi o fato de o seu fundador gostar muito de leite. É uma origem simples, mas foi o motivo do apelido recebido.

2.1 Genealogia das Famílias Fernandes de Almeida e Soares Leite

6. Foto de Zeca e Vicente Soares Leite
Acervo: Prof. Osmar Fernandes

A genealogia é uma ciência auxiliar da história que estuda a origem, evolução e disseminação das famílias e respectivos sobrenomes ou apelidos. A definição mais abrangente é "estudo do parentesco". A genealogia é uma ciência voltada para a pesquisa da história das famílias, sua linhagem e ascendência. A genealogia é uma ciência que estuda a origem, evolução e disseminação das várias gerações de uma família. A partir de informações buscadas em documentos e certidões de pais, tios, avós e bisavós, etc., as pessoas conseguem descobrir seus antepassados e quando e onde eles nasceram. A visita em cartórios, igrejas, arquivos públicos, museus e bibliotecas também podem auxiliar na busca por mais informações.

2.2 Família Fernandes

                                             7. foto de Zeca e Madinha Dona
                                         Acervo: prof. Osmar Fernandes.

JOSÉ FERNANDES DE ALMEIDA – ZECA (IN MEMORIAM), Era alto, branco dos olhos azuis – Lavrador (Falecido); filho de: João Fernandes de Almeida (IN MEMORIAM) e de Antônia Fernandes de Lima (IN MEMORIAM); cônjuge: JOSEFA FRANCISCA DA CONCEIÇÃO – MADINHA DONA (IN MEMORIAM), nascida na data de 07 de junho de 1910, na cidade de Riacho Seco/CE; dona de casa; falecida no Hospital Ivaldo Foz/SP., na data de 12 de maio de 1987, às 2:00 hs (aos 77 anos de idade); foi sepultado no Cemitério de Congonhas/SP.; filha de: José Fernandes de Lima (IN MEMORIAM) e Maria Francisca de Jesus Fernandes (IN MEMORIAM). Observação: Na certidão de casamento do Tio Mundoca e da tia Francisca (Chiquinha), consta o sobrenome de Madinha Dona, como: Fernandes de Lima; Irmãos: João Fernandes (falecido); Cassimiro; Antonio; Manoel; Vicente; Chico; José; Cilirio; Maria Cota; Idalina Conceição de Jesus; Ester e Graça.

                            
                                8. foto do Quadro Coletivo – Família Fernandes de Almeida
                            Acervo: Prof. Osmar Soares Fernandes.


TIVERAM ONZE FILHOS:

1 - ADERCINA FERNANDES DE LIMA, Aposentada; divorciada; nascida na data de 06/03/1947, na cidade de Iara/CE; Escolaridade E.F; ex-cônjuge: Pedro Antônio de Lima, com quem teve cinco filhos: Rogério, Dulce, Dulcinéia, Vera Lúcia e Verônica.
2 – AFONSO FERNANDES DE LIMA (IN-MEMORIAM), comerciante, foi casado com Leda Fernandes, com quem teve um Filho – Ailton.
3 - DAVID FERNANDES DE LIMA (IN MEMORIAM), Esposa - Terezinha; Filhos: Aldenice Parry (Inglaterra); Antônia; Agenor; Aureni; Aurineide e Andréia.
 4 - FRANCISCO FERNANDES DE LIMA (CHICO), comerciante, foi casado com Ananete (IN MEMORIAM). Atualmente é casado com Francisca; Filhos com Ananete: Wilson (falecido); Cleide; Neide; Valter; Daniel e Cláudio.
5 - FRANCISCA FERNANDES VIEIRA (CHIQUINHA), do lar, residente e domiciliada na cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná, aposentada, nascida em 17 de maio de 1941, Iara/CE; Viúva de Sebastião Vieira (Tião), falecido em 17/05/1998; tiveram 05 Filhos: Vilson, Cicero, Jeremias, Josué e Edson (Jeremias e Josué são gêmeos); União Estável com Antônio Ferreira da Silva, nascido 20/08/1942, na cidade de Bom Conselho de Papacaça/PE; Aposentado (não têm filhos).
6 - JOÃO FERNANDES DE ALMEIDA, Produtor Rural – Aposentado; Nascimento:19 de fevereiro de 1934, segunda-feira, Iara/CE; signo – aquário; Falecimento: 29 de julho de 2000, (sábado), na cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná/Brasil; Filiação: José Fernandes de Almeida e Josefa Francisca da Conceição; Cônjuge: Lêda Soares de Almeida; Filhos: Wilson, Osmar, Marli, Marlene, Marley e Marcesley; Mandatos Eletivos: Vereador no Município de Nova Londrina/PR – gestões: 31/01/1973 a 31/01/1977; 31/01/1977 a 31/01/1983; 31/01/1983 a 31/01/1989; 31/01/1989 a 31/01/1993; Prefeito do Município de Nova Londrina, Estado do Paraná, gestão: 01/01/1997 a 29/07/ 2000 (faleceu dia 29 de julho de 2000, as 4 hs da manhã ao lado da esposa, dormindo em sua residência); A Avenida Jacarezinho, da cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná (AV. PRINCIPAL DO BAIRRO CONJUNTO HABITACIONAL PAPA JOÃO PAULO II - 180 CASAS), passou a se chamar: Av. Prefeito João Fernandes de Almeida "Em sua homenagem, 2007".
7 - MARIA FERNANDES BRITO (SOCORRO), do lar; Cônjuge: Raimundo Alves (IN-MEMORIAM); Filhos: Antonio, Francisca, Valdones, Manoel, Luiz Boa, Raimunda, Maria; Cida e José Carlos.
8 - MARIA FERNANDES RODRIGUES, do lar; nascida em 16 de novembro de 1930, em Acopiara/ CE (localizado na região Centro-Sul do estado), e falecida na data de 17 de julho 2012; Esposo: Manuel Rodrigues Filho, nascido em 05 maio de 1922 e falecido em 07 de julho de 2002; Filhos: Antônia Rodrigues Fernandes; Cícero Fernandes de Almeida; Cícera Rodrigues Fernandes; Francisca Rodrigues Fernandes; Francisco Rodrigues Fernandes; João Rodrigues Fernandes; José Rodrigues Fernandes; Valdecina Rodrigues Fernandes e Zaza Rodrigues Fernandes.
9 - MARINA FERNANDES DE MOURA, do lar; casada com Antonio Henrique de Moura (IN MEMORIAM); Filhos: Adriana Moura de Melo e Maria Aparecida de Moura Almeida; Netos: Agnaldo, Alessandra e Andreza (filhos de Maria) e Waleska e Weverton (filhos de Adriana).
10 - RAIMUNDO FERNANDES DE LIMA - MUNDOCA (IN MEMORIAM), nascido em 21/05/1940 e falecido em 10 de julho de 2011; Foi Vereador, Sindicalista e Aposentado; Foi Presidente do Sindicato Rural de Marilena/PR; Vereador em Marilena/PR, nas gestões: 1989 a 1992 e 1993 a 1996; foi casado com Maria Socorro de Souza (IN MEMORIAM), com quem teve 4 filhos: Agenor, Goretti, Aguinaldo e Suzete; foi casado com Maria Miriam Carlos de Lima, com quem teve duas filhas: Flávia e Ana Paula.
11 - VALDOMIRO FERNANDES DE LIMA – MIRO, Casado com Maria do Socorro Fernandes Macedo; filhos: Rodrigo e Daniele.

2.3 Origem da Família Fernandes


FERNANDES/FERNANDEZ: Nome português/espanhol de origem patronímica, filho de Fernando. Já o nome Fernando, do qual deriva o sobrenome, vem do germânico Frithunanths ("frithu" [paz] + "nanths" [audaz, corajoso]), com o sentido de intrépido na defesa da paz, latinizado em Fredenandus e, posteriormente, em Fernandus.

O nome Fernandes significa pessoa de boa família, honrado, originado das colinas de Portugal. As primeiras pessoas viveram em uma parte a oeste da Península Ibérica, a mais de 500 anos atrás. Porém, a primeira cultura identificada é a dos Ibéricos. Evidências arqueológicas nesta região são de aproximadamente 5000 a.C. Milhares de anos mais tarde, os Celtas invadiram a região. As duas culturas, Celtas e ibéricos, eventualmente se juntaram para formar uma definida cultura conhecida como Lusitanos. Mercadores Fenícios, conhecidos como Cartagineses, também foram comuns durante o séc. IX a.C.

No século II a.C., com a morte do líder dos Lusitanos, os romanos finalmente derrotaram este povo. O controle de Roma foi mantido por seis séculos e então a região foi conquistada pelas tribos Germânicas e, posteriormente, pelos Árabes. Em 711 d.C., os Mouros invadiram a região; somente o norte de Portugal permaneceu cristão. Aproximadamente 400 anos depois Afonso Henriques expulsou os Mouros com a ajuda espanhola. Ele formou o novo reino português. Afonso começa a reconstruir a terra de seu reinado em 1095 e perto de 1249, Portugal teria conquistado a área aproximada do que tem hoje.

Nos séculos seguintes, Portugal desenvolveu uma força colonial explorando terras e riquezas do globo. Ajudando exploradores como Bartolomeu Diaz e Vasco da Gama, Portugal conseguiu um império 20 vezes maior que seu próprio tamanho no extremo oriente, África e América do Sul. O auge do poderio Português foi provavelmente alcançado em 1497. Neste ano todos os Judeus foram expulsos da Península Ibérica; esta ação teve repercussões econômicas terríveis para Portugal. Além disso, esta pequena nação não poderia se manter com a rápida expansão marítima inglesa e holandesa.

Como a população medieval de Portugal era analfabeta, os escribas guardavam seus nomes simplesmente pelo som. É comum encontrar um indivíduo registrado em várias narrações antigas como muitas ortografias diferentes de seu sobrenome. O nome Fernandes também já foi Fernant, Ferrant, hernand, Hernan, Hernanz, Fermand, Fermon, Fernão, Ferao, Hernandez...entre outros.

Como a história de Portugal era composta muitas vezes de conflitos e por força de indivíduos comumente agressivos, uma migração para as colônias se iniciou prematuramente. Estes colonos frequentemente deixaram sua pátria para ganhar liberdade por causa das várias formas de perseguição de que eram vítimas. A maioria dos imigrantes que possuem o nome Fernandes se estabeleceram na América Central e América do Sul ou em várias colônias Portuguesas na Oceania, Norte da África e em Açores.


                                                    1. Brasão da Família Fernandes.

O brasão da família Fernandes possui um escudo dividido em quatro partes. A primeira de ouro, com uma águia de duas cabeças de preto, armada de vermelho e carregada de um crescente de prata no peito. A segunda parte de vermelho, com três pequenos escudos de prata, com uma cruz de vermelho em cada um. A terceira também de vermelho, com um castelo de prata. Por fim, a quarta parte de vermelho, com três vieiras feitas de prata.

2.4 Origem da Família Almeida


O primeiro membro da família a receber o sobrenome Almeida foi Pedro Paes de Almeida, filho de Paio Guterres Amado. Por este motivo, Almeida é um nome de origem toponímica, ou seja, sua origem indica um local. Fonte: Nobiliário de Famílias de Portugal Índice H.G. 40102 V.  Este é um sobrenome que ficou popular em países de língua portuguesa. Surgiu em Portugal embora a sua palavra seja constituída do árabe. Seu significado é al (a) meida (mesa). Dessa forma, no seu sentido geográfico remete ao planalto, ao chão plano.

Ele tem a sua origem considerada toponímica, geográfica, uma vez que existia um castelo chamado Castelo de Almeida, onde passou se a adotar o sobrenome “de Almeida” que posteriormente foi passado aos descendentes.

Descendem os Almeida de D. Fernão Canelas, senhor das Quintas do Pinheiro e Canelas, pai de João Fernandes de Almeida. Procede também desta família Egas Moniz, conquistador de Almeida, da qual um de seus filhos tomou o nome pôr sobrenome.

Os Almeida têm bastante influencia em todos os cantos. É possível encontrar um Almeida de sucesso como escritores, artistas em geral, grandes médicos, padres, além dos vários esportistas dentro e fora do Brasil.

Desde o começo de sua história o sobrenome Almeida permaneceu o mesmo. Por esse motivo, não são encontradas variantes tão facilmente. É bem possível que elas nem existam.


                                                      2. Brasão da Família Almeida

O brasão da família Almeida tem suas cores fazendo referência à riqueza e poder, representadas por ouro e vermelho. Ele é constituído por um dobre-cruz acompanhado de seis besantes, tudo feito de jalde. Ele também possui bordadura do mesmo. No seu timbre encontra-se uma águia estendida, carregada de nove besantes também feitos de jalde, com três no peito e três em cada asa.
2.5 -  Família Soares Leite:
                                          9.  Foto de Vicente e Doquinha
                                                   Fonte – prof. Osmar Fernandes.


            VICENTE SOARES LEITE (IN MEMORIAM): Aposentado; nascido em 25 de abril de 1912, Crato/CE, quinta-feira, signo – touro, e falecido na data de 31 de agosto de 1994, segunda-feira (aos 82 anos), sepultado na cidade de Monte Negro/RO; Pais: Antônio Soares Primo – nascido em Aurora/CE, fazendeiro em Crato/CE, faleceu aos 62 anos de idade e Mãe: Alexandrina Marcelina do Amor Divino (falecida em 20/04/1976, aos 96 anos de idade, sepultada no Cemitério Municipal "São Paulo Apóstolo" da cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná; filha de: José Leite da Silva e Vicência Maria da Conceição); Religião: Evangélico "Igreja Congregação Cristã No Brasil"; foi Enfermeiro por 05 anos no Estado do Ceará/CE; foi o primeiro empreiteiro de Nova Londrina, Estado do Paraná – Pioneiro, que, à frente de 40 homens, dedicou-se à empreita de abrir as ruas, tudo à base da foice, do facão, do machado e da enxada; foi lavrador, Sitiante; 2º delegado (por 04 anos) nos municípios de Nova Londrina/PR e Marilena/PR; 13 IRMÃOS: 1 - Osmídio Soares Leite (falecido); 2 - Antônio Soares Leite (falecido); 3 - Cosme Soares Leite - falecido; 4 - Cazuza Soares Leite (falecido); 5 - Espedito Soares Leite (falecido); 6 - Jesus Soares Leite (falecido); 7 - Adília Soares Leite (falecida); 8 - Lobélia Soares Leite (falecida); 9 - Purcina Soares Leite - Doninha (falecida); 10 - Adelita Soares Leite - (falecida); 11 - Alzira Soares Leite (falecida), 12 - Florisbela Soares Leite (falecida), e 13 - Dulcinéia Soares Leite - Florzinha (Falecida); 03 filhos falecidos: ainda bebês: Wallacy, Osther e Neide, 11 vivos e 02 filhos de criação: Nenê e Maria de Campos; cônjuge: FRANCISCA SOARES FEITOZA – DOQUINHA (IN MEMORIAM), do lar, Filiação: Pai: João Alves Cavalcante (Zuca), nascido em Assaré/CE  (filho de Eufrazio Alves Cavalcante e Maria Alves Feitoza); Mãe - Maria de Lima Sampaio “Mainha”  (filha de: José Rodrigues de Lima e Maria de Jesus Sampaio); nascida em 26/11/1918 – Terça-feira; signo – sagitário, e falecida em 19 de dezembro de 1989, Quarta-feira, (aos 72 anos de idade), sepultada em Cabixi/RO; Religião: Evangélica da Igreja Congregação Cristã no Brasil; Professora Primária no Ceará; cor predileta – vermelho; Parteira no município de Nova Londrina/Pr.; Poetisa e declamadora; poema favorito: O Pássaro Cativo de Olavo Bilac; IRMÃO: Jesus Alves Feitoza (falecido), maestro, cantor e compositor. 
                                                                O Pássaro Cativo (poema favorito de Doquinha):

Armas, num galho de árvore, o alçapão; E, em breve, uma avezinha descuidada, batendo as asas cai na escravidão. Dás-lhe então, por esplêndida morada, A gaiola dourada; dás-lhe alpiste, e água fresca, e ovos, e tudo: Porque é que, tendo tudo, há de ficar O passarinho mudo, Arrepiado e triste, sem cantar? É que, crença, os pássaros não falam. Só gorjeando a sua dor exalam, sem que os homens os possam entender; se os pássaros falassem, talvez os teus ouvidos escutassem este cativo pássaro dizer: “Não quero o teu alpiste! Gosto mais do alimento que procuro na mata livre em que a voar me viste; tenho água fresca num recanto escuro Da selva em que nasci; Da mata entre os verdores, tenho frutos e flores, sem precisar de ti!  Não quero a tua esplêndida gaiola! Pois nenhuma riqueza me consola de haver perdido aquilo que perdi ... prefiro o ninho humilde, construído de folhas secas, plácido e escondido Entre os galhos das árvores amigas... solta-me ao vento e ao sol! Com que direito à escravidão me obrigas? Quero saudar as pompas do arrebol! Quero, ao cair da tarde, entoar minhas tristíssimas cantigas! Por que me prendes? Solta-me covarde! Deus me deu por gaiola a imensidade: Não me roubes a minha liberdade ... Quero voar! Voar! ... “ Estas cousas o pássaro diria, se pudesse falar. E a tua alma, criança, tremeria, vendo tanta aflição: E a tua mão, tremendo, lhe abriria A porta da prisão. Olavo Bilac: Do livro: Poesias Infantis, Ed. Francisco Alves, 1929 – RJ.


                           10. Foto do Quadro Coletivo – Família Soares
                                   Fonte: Prof. Osmar Soares Fernandes.

FILHOS:


1 - ABRAÃO SOARES FEITOZA (IN MEMORIAM), aposentado, falecido na data de 21 de março de 2017, Cuiabá/MT; Cônjuge: Arenilza; Filhos: Ismael, Greiciele e Arenilce; Filhos do primeiro casamento, com Araci: Leidinere e Leida. Arenilce Pereira Feitosa de Sousa (Nice), data de nascimento, 10 de agosto de 1986, casada com Marcelo Helloin. Greiciele Aquino, data de nascimento, 25 de março de 1988, casada com Jovany Aquino. Ismael Feitosa, Data de nascimento, 23 de junho de 1990, segurança, casado com Pamela da Costa Moraes, filhos: Eduarda, Abmael e Pedro. Leidinere Cartes Feitosa (Leitinho), nascido em 07/12/1967, na cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná, Fotógrafo, esposa: Wanilde Pereira Feitosa, nascida 20/09/1969, na cidade de Poconé/MT; Filhos: Wanessa Pereira Feitosa, nascida em 02/08/1993; Leidiane Pereira Feitosa, nascida em 31/01/1996, Cuiabá/MT, cursa o 2º grau do EM, no Colégio Estadual Nilo Póvoas; Wanderson, nascido em 18/10/1994; e Wanderley, nascido em 07/04/1998. Leida Cartes Feitosa (Nome De Solteira):  LEIDA CARTES GONÇALVES, brasileira, casada, voluntária da padaria Artesanal da Igreja Católica, nascida 03 de outubro de 1968, na cidade de Paranavaí/PR, reside no Distrito de Rosana – Primavera/SP; filha de Abraão Soares Feitoza e Araci Cartes Feitoza; casada com Onildo Gonçalves; filhos: Eder Cartes Gonçalves e Lilian Cartes Gonçalves, Jefferson Cartes Gonsalves (falecido).
2 - ANTÔNIO SOARES FEITOZA, comerciante; casado com Francisca (Chica), reside na cidade de Monte Negro/RO; filhos: Miraney e Miranéia Feitosa, nascida em 17 de julho de 1980, comerciante; filhos: Quezily e Stefaly. Filhos do primeiro casamento do Antônio Soares Feitoza: Vicente Soares Feitoza (Vicentinho) – filho Gui Santos; e Carlos Soares Feitoza (Carlinhos).
3 - EDA SOARES LEITE MACHADO DA SILVA (EDINHA), casada com Ednaldo; filhos: Érica e Tiago Douglas; 2.º grau completo; poetisa, autodidata em remédios caseiros; evangélica da Igreja Congregação Cristã no Brasil - Cuiabá/MT.
4 - ELIAS SOARES LEITE, pedreiro; solteiro, nascido em 11/09/1975 – Nova Londrina/PR, signo - Virgem; teve união estável com Luzia Beilsa de Santana, durante cinco (5) anos, filho: Victor Manuel de Santana Leite, nascido em 06/09/2000 – Nova Londrina/PR.
5 - IEDA SOARES DE QUEIROZ, aposentada como professora; nascida 05 de agosto de 1943, Dom Quintino/CE; (quinta-feira), signo – leão; viúva de Cícero A. Queiroz; Filhos: Wanderley; Wanda, Wolney, Waldiney e Vanusa Bragante Moreira (filha adotiva); foi Professora do Ensino Fundamental e Médio: Na cidade de Várzea Grande/MT e Monte Negro/RO; Religião – Evangélica da Igreja Congregação Cristã no Brasil; Cabeleireira Profissional; Escolaridade – 3.º grau incompleto do curso de Direito – UFMT. Wanderley Alves Queiroz (falecido), nascido em 08/09/1962, no município de Nova Londrina/PR, 2.º grau completo; (falecido em 1988, e, sepultado na cidade de Várzea Grande/MT); foi casado com Celicia, e não tiveram filhos; foi Despachante de Trânsito na cidade de Várzea Grande/MT. Wanda Alves Queiroz, Nascida em 14/03/1964, na cidade de Nova Londrina/PR, Escolaridade: 2.º grau completo – 1º ano no Colégio Ary João Dresch, cidade de Nova Londrina/PR, e  2º e 3º no Colégio Ápice na cidade de Várzea Grande; profissão – Foi Despachante de Trânsito e Funcionária Pública Municipal na cidade de Chapada dos Guimarães/MT; Atualmente Corretora de Imóveis, Bombinhas/SC; mãe de duas filhas: Renata  Alves de  Queiroz dos Santos (Pai Antonio Claret), e Talyta Soares Mena Barreto (Pai Eduardo Mena Barreto). Atualmente reside na cidade de Bombinhas/SC. Talyta Soares Mena Barreto, Nascida em 09/12/91, às 09:15 h., na cidade de Várzea Grande/MT., pai: Eduardo Mena Barreto; avôs paternos: Mário Mena Barreto e Iolanda Pereira Barreto); Casado com José Roberto; Filho: Victor Bernardo; 2º grau completo, curso técnico de Hotelaria e Turismo; Corretora de Imóveis; Bombinhas/SC. Renata  Alves de  Queiroz dos Santos (Pai Antonio Claret), 2º grau completo, curso técnico em Hotelaria e Turismo; nascida em 10/01/1996; Casada com Lucas Diniz; Porto Belo/SC. Wolney Alves Queiroz (IN-MEMORIAM), Foi professor de judô, foi casado com Ivanete Santana com quem teve dois filhos: Wolney Wicktor e lorrayne Emily; Filha dele com Ângela Santiago de Godoi - Dayse Santiago de Godoi, nascida em Cuiabá/MT, na data de 20 de fevereiro de 1990, - mora em São José dos Pinhais/PR; falecido em Curitiba/PR, e sepultado na cidade de Bombinhas/SC. Waldiney Alves Queiroz (Professor de Violão e músico); nascido em 30/11/1971, na cidade de Nova Londrina PR; reside em Porto Velho/RO, empresário, separado, filhos com Joice: Yan, Yasmim, Yannê e Waldiney Goudinho De Queiroz. Cícero e Ieda casaram-se em 14 de setembro de 1961, no Município de Nova Londrina PR.: Ele, nascido em Buíque/PE, 2.º grau completo; Despachante de Trânsito – foi proprietário da Auto Escola Queiroz na cidade de Nova Londrina/PR (Pioneiro), e na cidade de Várzea Grande/MT; filho de: Manoel Alves de Queiroz e Maria Alves de Queiroz; São seus irmãos: Pedro Alves Queiroz, Antonio A. de Queiroz, José A. de Queiroz, Elias A. de Queiroz, Manoel A. Queiroz, Lurdes e Maria do Socorro; Parentes: José Ramos dos Santos (Jaiminho), nascido 16 de outubro de 1946, Itaíba/PE, – casado com Luíza Alves dos Santos – filha de Antonio Alves de Queiroz e Alexandrina Alves de Queiroz, filhos: Manoel Ramos dos Santos (Jaudir), Jailza Ramos dos Santos, Jaldemir Ramos dos Santos, Jailma Ramos dos Santos; Faleceu em 25/12/1998 – Loanda/PR, e está sepultado na cidade de Marielena/PR.
6 - LÊDA SOARES DE ALMEIDA, nascida na data de 25/01/1940, quinta-feira, às 05H00MIN, (Cinco horas), Crato/CE; signo – aquariana; Aposentada; CÔNJUGE: João Fernandes de Almeida (IN MEMORIAM); FILHOS: WILSON, OSMAR, MARLI, MARLENE, MARLEY E MARCESLEY;: ; 2º grau completo – Técnico de Contabilidade, pelo Colégio Ari João Dresch, na cidade de Nova Londrina/PR.; 3º grau incompleto – concorreu no 2.º Concurso Vestibular, no Curso de Enfermagem e Obstetrícia, Inscrição n.º 419 – fez as provas nos dias 18/19 e 20 de 1982 – Fafipa: Fundação Faculdade Municipal de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí. Aprovada, estudou até o 4.º bimestre; Exerceu a profissão de Cabeleireira profissional; assumiu o cargo em comissão da Secretaria da Assistência Social, na Prefeitura do Município de Nova Londrina/PR, no período em que o esposo (João Fernandes de Almeida) foi prefeito, de 01 de janeiro de 1997 a 29 de julho de 2000; No dia 28/09/2001 foi eleita no Clube Campestre de Paranavaí, 1.ª Princesa da 3.ª idade, onde declamou o poema de Olavo Bilac – O Pássaro Cativo, foi ovacionada pela plateia de mais de 800 pessoas presentes; residiu de julho de 2005 até outubro de 2009, na Philadelphia.P.A, EUA, com a filha Marcesley; NETOS: Filhos do WILSON SOARES FERNANDES: Filha do atual casamento com Niuza: Maria Lêda de Medeiros Fernandes, nascida em 30 de abril de 2010, Braço do Norte/SC.; Filhos do segundo casamento com Soraya Campos Fernandes: João Hugo, Alysson e Wallacy; Filhos do primeiro casamento com CLarice Maroto: Alarissa e Wesckley; BISNETOS: Filhos de João Hugo Campos Fernandes, Casado com Greice Moreira Fernandes: Agnes Maria Moreira Fernandes, nascida na Cidade de Florianópolis/SC, na data de 03 de Abril de 2006, e Ana Luíza Moreira Campos Fernandes, nascida em 15 de março de 2007, Tijucas/SC.; Wesckley Maroto Fernandes, esposa: Leonina Pereira da Silva Maroto: Filha: Iasmin da Silva Maroto, nascida em 15 de julho de 2013; Filhas de Alarissa Maroto: Alana Com Gibson Almeida Costa Júnior e Cecília Maroto Braga, nascida em 21 de junho de 2012, às 19:12 hs., com o atual esposo Dudu Braga. Filhos DE OSMAR SOARES FERNANDES: Filhos do primeiro casamento: com Leny Gomes Gilglioli, casados na data de 16 de abril de 1980 até junho de 1999: Jackeline, Dayanne, Thábata Fernanda e Moisés; Cônjuge: Janaína Bárbara Ferreira Fernandes, Filhos: Tharcísio, Tharsila e Rafael; filho de Jackeline Soares Gilglioli Fernandes: Desquitada de Luís de Paula Sôda, com quem tem um filho: João Vitor Fernandes Sôda; filhas de Dayanne Gilglioli Fernandes Nunes com seu esposo Daniel Juruna Nunes: Ana Júlia e Juliana; filhas de Thábata Fernanda Soares Gilglioli com seu esposo Giovano J. Massoni: Giovanna e Isabella. Filhos DE MARLI SOARES FERNANDES: Filho do primeiro casamento com Antonio Hélio Capistrano: Antônio Hélio Capistrano Jr. (Juninho) nascido em 18/06/1987, Cuiabá/MT, signo - Gêmeos; Filho com Norival: Daniel Lorenzo, nascido em 09 de dezembro de 1999, signo - sagitário. Filhos de MARLENE SOARES FERNANDES: Filhos: do primeiro casamento com Joel da Silva Câmara: João Vicente Fernandes Câmara, nascido em 23/07/1992; do atual casamento com Narciso Sabino Tosta: Karine e Natali. Filhos de MARLEI SOARES FERNANDES: Filhos: Luís Augusto e Fernanda Lúcia (com Edson Nunes). Filhos de MARCESLEY FERNANDES DE ALMEIDA: Filhos: Letícia, Augusto e Leda Mara (nascida 23 de outubro de 2007).
7 - MEDA SOARES FEITOZA (PRETA), Fotógrafa; Nascida na data de 03 de julho de 1953, Nova Londrina, Estado do Paraná; Esposo: Pedro Eugênio de Souza (não tem filhos); Filha do primeiro casamento, com o Joãozinho: Adriani Soares Dias de Lima; Filho da união estável, com o João Soares de Oliveira: Fabiana e Alecsandro Soares de Oliveira. Adriani Soares Dias de Lima, Nascida em 30/06/1974 - Nova Londrina/PR; 2º grau completo; casada com o Sr. João Batista Rodrigues de Lima (Caminhoneiro), nascido em 23/06/1975 - Paranaíba/MS; Filhas: Adrielly e Andreia. Adrielly Soares de Lima, Nascida em 17/03/1995, 2º grau completo; filha - Ashley Pauer Tavares de lima, nascida em 19/12/2012. Andréia Soares de Lima, Nascida na data de 24/02/1999 (peixes); Várzea Grande/MT; Escolaridade - Gestão em Segurança Pública (Nível Superior); Assistente Administrativa; Modelo. Alecsandro Soares de Oliveira (Alex), nascido em 04 de maio de 1977, Diamante do Norte/PR, residente na cidade de Fort Myers – Flórida/EUA; filhos com Vânia Aparecida Moreira de Oliveira: João Soares Oliveira, Kalev Soares Oliveira e Rebeca Soares Oliveira. Fabiana Soares de Oliveira, Nascida em 02 de fevereiro de 1979, no Município de Paranavaí/PR, aquariana, 2º grau completo; filha com Genivaldo Evangelista Nunes: Francielly Soares de Oliveira Nunes, nascida em 08/06/1994, na cidade de Várzea Grande/MT; Filhos com José Maciel de Oliveira: Marcielly Soares de Oliveira, nascida em 23 de agosto de 1998, na cidade de Cuiabá/MT e Pablito Fabrício de Oliveira, nascido em 10 de outubro de 200, na cidade de Várzea Grande/MT.
8 - NEDA SOARES FEITOZA DOS SANTOS, nascida na data de 05/junho/1950, Segunda-feira, na cidade de Rolândia/PR; Signo – gêmeos; Cor preferida – vermelho; Escolaridade – 2º grau incompleto; Curso de Enfermagem; Instrutora de Autoescola; Fotógrafa; Religião: Evangélica (Igreja Congregação Cristã no Brasil), Ministério da Piedade; Cônjuge: Anízio Corrêa dos Santos: aposentado pela Polícia Civil do Estado do Paraná, Funcionário de Carreira do Detran-PR, nascido em 05/11/1935, terça-feira, Garanhuns/PE, signo – escorpião, Religião: Evangélico (Igreja Congregação Cristã no Brasil), Diácono da Igreja na cidade de Itapema/SC; Filhos: Rosemary, Roseney e Rosevan. Rosemary dos Santos Soares, Nascida em 09 de abril de 1970, na cidade de Cruzeiro do Oeste/PR, signo Áries, reside na cidade litorânea de Itapema/SC; Escolaridade -  3º. Grau incompleto; Filho - com Erzaide Benetti (filho de Ricieri Benetti e Otília Érica Benetti), Juliano dos Santos Benetti, nascido em 11/09/1991, no município de Cuiabá/MT, signo virgem, cor predileta – laranja. Roseney Soares dos Santos, nascido em 28/01/1974, Loanda/PR, aquariano, reside na Philadelphia EUA. Rosevan Soares dos Santos (Zandor), nascido em 20/01/1981, no município de Maringá/PR, signo - Capricórnio, reside e trabalha Flórida - fort lauderdale; Escolaridade – 2º grau completo (Conhecimentos Gerais), curso de segurança, espanhol e modelo.
 9 - OSMÍDIO SOARES FEITOZA, Policial Militar - Aposentado; Evangélico – Igreja Congregação Cristã no Brasil; Casado com Alzira Cupaioli; reside na Zona Rural de Marilena/PR, na areia Branca do Tucum; Filhos: Sandra, Marcos e a filha adotiva Rosilene Maria de Souza.  Sandra Mara Cupaiola Feitosa do Nascimento, nascida em 30 de maio de 1970, Nova Londrina/PR; casada com Adauto; filhos: Ananias, Adauto Jr. e Maria Carolina. Marcos Antônio Cupaioli Feitoza, filhos com Maria Ribeiro Feitoza: Edicarlos Ribeiro Feitoza e Jéssica Oliveira Feitoza e Taynara Feitoza.
10 - SIREMA SOARES MENDES, do lar, casada com Donizete Aparecido Mendes, nascido - 03/07/1955; relojoeiro; Filhos: Fernando - falecido; Cristiane e Marcelo. Marcelo, nascido em 28/06/1981, filho – Brenno Enzo, nascido em 10/02/2004 (com a Viviane). Cristiane – kelly, Esposo Rosecler Castro - Filhos: Bruno, Geovana e Yan.
11 - UEDA SOARES LEITE DOS REIS, do lar, nascida na data de 20/07/1956, Nova Londrina/PR; Escolaridade - 5ª série Ginasial; Cônjuge: Antônio dos Reis (Tonhão), nascido em 21/09/1948, Rio Claro/MG, Mestre de Obras; Filhos: Grazielly, Ricardo (Guri) e Andreza. Grazielly Fernanda dos Reis, nascida na cidade de Nova Londrina/PR, em 08 de julho 1981; casada com Edson (Mecânico de Refrigeração, ar condicionado), filhos: Guilherme (Gui) e Bruno dos Reis; Residente na cidade de São Paulo/SP; Profissão: Agente Administrativo (Escrita Fiscal). Ricardo Reis (Guri), nasceu na cidade de Nova Londrina/PR, 17/08/76; escolaridade 5ª série, Colégio: MERCIA ARTIMOS MARRON/SP. Andreza Francisca dos Reis (Dedezinha), nascida em 02 de abril de 1991, Diadema/SP. Escolaridade 2ª série do 2º grau/ SP. Colégio E. E. P.

                           Imagem 1.
                                     Arquivo. Prof. Osmar Fernandes]

DOIS FILHOS DE CRIAÇÃO:

1 - MARIA PAULINA CAMPOS (MARIA DE CAMPOS - FALECIDA), nascida na data de 15 de maio de 1930, Crato/CE, falecida em 17 de julho de 2004, sepultada na cidade de Nova Londrina/PR.; era viúva de José Cardoso Campos (Padeiro, Nascido em 1909, Montes Claro/MG e falecido em 26 de abril de 1981, sepultado na cidade de Nova Londrina/PR, foi Suplente e assumiu a vereança na cidade de Nova Londrina/PR); Filhos: Vera Lúcia Campos, Waldivia Campos, Vitor Reis Campos, Wan Daniel Campos,  Wolney José Campos – Negreto (falecido).
2 - ERIVALDO ALVES CORREIA (NENÊ), morou 7 anos na casa de Vicente e Doquinha, dos 10 aos 17 anos de idade; nascido em 12/08/1952 – Cianorte/PR; casado no ano de 1972 (Nova Londrina/PR), com Maria de Fátima Lima Correia (Coquinha); irmãos: Edivaldo (Nivaldo) Falecido; Maria Aparecida (Nininha), mora na cidade de Presidente Epitácio/SP; Marinaldo (Mazim) mora em Guarulhos/SP; Zé Maria, mora no Município de Alves Machado/SP; Irmãos por parte da mãe: Luciano e Ângela, moram na cidade de Presidente Epitácio; filhos: Erinado, Erenildo, Ericláudio, Elaine, Edivando e Eliandro (Ruan); Erinaldo, casado com Cidnéia – filhos: Emerson e Mateus; Erenildo (Dedé) casado com Edna, filha Alissa; Ericláudio, casado com Darlene, filha Ellen; Elaine (falecida), era casada com Júnior Boos, (Da farmácia São Lucas), sem filhos; Edivando (Birim), residente na cidade de Guarulhos/SP, solteiro; Eliandro (Leandro), casado com Natália, sem filhos.
2ª ESPOSA DE VICENTE SOARES LEITE: Dois anos após a morte de Doquinha (1ª esposa), Ele se casou legalmente com a Srª. Josefa (2ª esposa, falecida), era viúva, residente na cidade de Monte Negro/RO; não tiveram filhos.

MÃE E IRMÃO DE FRANCISCA SOARES FEITOZA – DOQUINHA (IN MEMORIAM):

Mãe - MARIA DE LIMA SAMPAIO (MAINHA), nascida em 24/05/1892 - Barbalha/Ce, signo – gêmeos; casou-se aos 20 anos de idade com João Alves Cavalcante (Zuza), na cidade de Assaré/Ce, Registro Civil – Luiz Gonzaga da Silva Freire do Distrito de Assaré/CE, casamento n.º 254, fls. n.º146v, livro B-2, matrimônio contraído perante o Dr. José Leocádio Alves Souza, em 29 de outubro de 1912; filha de: José Rodrigues de Lima e Maria de Jesus Sampaio; falecida em 11 de janeiro de 1982, às 03:00 horas, na cidade de Várzea Grande MT, em casa, aos 89 anos de idade; foi professora, poetisa, tocava pistom e gostava declamar poesias; Evangélica da Igreja Congregação Cristã no Brasil (Irmã Feitoza - era evangelista e por dom de Deus exercia a Piedade); Filhos: Francisca Soares Feitoza (Doquinha - falecida) e Jesus Alves Feitoza (falecido), Maestro, Cantor e Compositor. IRMÃ FEITOZA, como era conhecida carinhosamente pela irmandade da Congregação (Era evangelista e por Dom de Deus exercia a piedade da Congregação Cristã no Brasil, Nova Londrina, Estado do Paraná. Era assídua pregadora da Bíblia para os familiares, e boa parte da família, hoje, é batizada, graças aos seus ensinamentos e devoção”.
Irmão do pai de (Doquinha) - Antonio Cavalcante Sampaio – (Zuza), casado com Vicência Medeiros Cavalcante, são pais, de: Maria Creuza Sampaio Silva e Espedita Sampaio de Mello:
Maria Creuza Sampaio da Silva, nascida em 06/01/1936, Porteiras – CE, Líder Espiritual, casada com Eduardo Venâncio da Silva – Didi, nascido na data de 05/03/1933, Cabrobó/PE, e, falecido na data de 19/03/2005, na cidade de Nova Londrina Pr; pais de Didi: Venâncio Militão Santos e Josefa Medeiros Cavalcante). Filhos de Creuza e Didi: José Errades Venâncio Sampaio – Policial Militar (falecido); Venâncio Militão Neto (Hernandes), nascido 29/12/1961 – Cabrobó/PE; Cícero Evaldo, nascido 29/06/1971 – Cabrobó/PE (Campeirinho); Jorge Geraldo (Sampainho) nascido em 05/08/1967-Cabrobó; Damião Erivan Venâncio, nascido em 13/04/1971 – Cabrobó/PE; Edna Cleide Sampaio,04/11/1969 – Porteiras/Ce; Catarina Lila Sampaio Venâncio: Catarina. Tel.: (0xx44) 3432-3857 nascida em 05/06/1965; Eder Eduardo Venâncio da silva, nascido em 22/07/1982. Catarina Lila Sampaio Venâncio, nascida 05/06/1965 Cabrobó/PE, casada com Carlos Preste Santos, (Pescador), filhos: Catiana Sampaio Prestes, Errades Anastácio, Kerollen Sampaio Prestes e Luzia Aparecida Sampaio Preste. Jorge Geraldo Venâncio, aposentado, nascido em 05 de agosto de 1967, Cabrobó/PE; casado com: Rita de Cássia C. Santos, funcionária pública municipal, Prefeitura de Nova Londrina, nascida em 25/06/1974, Santa Cruz do Monte Castelo/PR; filhos: Jesileison José dos Santos Venâncio – nascido em 13/02/1996 – Santa Cruz do Monte Castelo/PR; e Maria Eduarda dos Santos Venâncio, nascida 28/09/1993, Itaúna do Sul/PR. Edna Cleide Sampaio Venâncio dos Santos, nascida 04 de novembro de 1969 – Porteiras/CE, Trabalha atualmente na Usina de Terra Rica/PR; Foi candidata a Vereadora em 2004, na cidade de Nova Londrina/Pr, obtendo 38 votos, pela Coligação PFL/PT/PPS/PTB – Nova Londrina Nova. Casada com José Prestes - Trabalha na Copagra de Nova Londrina/PR; filhos: Marcelo Preste Santos, Eduardo Alan Venâncio Santos, Joaquim Silvério dos Santos Neto (Maninho) – nascido em 07 de fevereiro de 1993, Nova Londrina/PR, estudante sério 6ª série, Colégio Vale do Tigre.
Espedita Sampaio de Melo, (Maria Sampaio), nascida em 25 de abril de 1926, em Crato/Ce, e falecida em 06 de julho de 1997 na cidade de Nova Londrina/Pr., (onde está sepultada). Foi casada com Sebastião Cavalcante Sampaio (1º casamento), filhos: José Benedito (falecido); Antonio Beinito; Francisco Benizar (falecido); Sebastião Cavalcante Sampaio – Baixinho; Maria Lêda (falecida); Maria Neuma; Vicente Denival; Cícero Cavalcante Sampaio – Cicinho; 2º Casamento: Antonio Soares de Melo, nascido na cidade de Pedra Branca – Senador Pompeu/Ce, filhos: Maria Neide de Melo – Neide, nascida em 07 de janeiro de 1962, Terra Rica/Pr, solteira, sem filhos, reside na cidade de Nova Londrina/Pr.; Paulo Soares de Melo; Netos: Valdecir Bigas Sampaio; José Valter (Zé Picareta); Luciano (Lela); Lucicleide; Lucilene (Lena); Marcos Antônio (Tonho); Adriano; Adriel; Eduardo; Elaine; Edinaldo de Santana (Kiko); Noêmia (Sandra); Luzia Beilza (Beilza); Geisebel; Valcilene; Luiz Flávio (Lú); Leandro; Jônathan Honda; Márcio; Airton; Elaine; Silvana; Paula; Camila, Carlos, Márcio. Cícero Cavalcante Sampaio - Nasceu em 04 de agosto de 1959, Brejo Santo/CE, casado, pedreiro, residente na Rua Tokushi Kondo, nº. 287, filho de: pai Ignorado, mãe Maria Sampaio; esposa Isolina Maria Aparecida Iosie Honda, nascida em 06 de fevereiro de 1962, Nova Londrina/PR, Curso Normal Superior e Pós Graduada em Educação Especial e Inclusiva, Professora na Escola Municipal Arthur Bernardes; Filho Único – Jonathan Honda Sampaio, nascido em 10 de setembro de 1990, Nova Londrina/PR, 2º. Grau completo trabalha no Fórum de Nova Londrina/PR. José Valter Sampaio (Zé Picareta) nascido em 22 de fevereiro de 1973, Nova Londrina/PR, Escolaridade – 5ª. Série – Comerciante; filho de Sebastião Cavalcante Sampaio (Baixinho) e Maria Iracema Bigas Sampaio; Casado com a Srª. Maria Vidal Luz Sampaio, nascida em 22 de dezembro de 1971, Porteiras/CE, 2º. Grau completo; Filhos: Nayara Maria Vidal Sampaio, nascida em 05 de fevereiro de 1993, Nova Londrina/PR, Escolaridade 1º. Ano do segundo grau – Col. Ari João Dresch; Maria Heloísa Vidal Sampaio, nascida em 09 de abril de 1999, Nova Londrina/PR, 2º ano do ensino médio; Mariana Vidal Sampaio, nascida em 20 de novembro de 2002, Maringá/PR.
            José Valter Sampaio (Zé Picareta), vereador eleito mais votado nas eleições municipais de Nova Londrina, Estado do Paraná - 2012, com 447 votos, para o mandato 2013 a 2016; Presidente do PRB Municipal, nascido em 22 de fevereiro de 1973, Nova Londrina, Corretor de Imóveis; Filiação: Sebastião Cavalcante Sampaio (Baixinho) e Maria Iracema Bigas Sampaio; casado com Edy Sampaio Vidal, filhas: Nayara, Heloísa e Mariana.
Irmão - Jesus Alves Feitoza (falecido), maestro, cantor e compositor.

                IRMÃOS DE VICENTE SOARES LEITE (IN MEMORIAM):
                                  11. Foto do Quadro Coletivo – Família Soares Leite
                                   Fonte: Prof. Osmar Soares Fernandes.


1 - ADELITA SOARES LEITE - (FALECIDA), nascida na data de 20 de agosto de 1913 na cidade de Crato/Ce (Quarta-feira), signo-leão; (Acontecimentos na data de seu nascimento: 19/08/1913 - Giuseppe Vizzini (1874 a-1935) nomeado bispo da diocese de Noto; 20/08/1913 - Fundida a primeira peça de aço inoxidável na University of Sheffied; 21/08/193 - Criação do Distrito de Passagem de Pedras em União (futura Itaiçaba/CE; Hermes Rodrigues da Fonseca - Era o Presidente do Brasil - 1910 a 1914, Era sobrinho do Marechal Deodoro da Fonseca, 1º presidente do Brasil, do General João Severiano da Fonseca, Patrono do Serviço de Saúde do Exército, e filho do marechal Hermes Ernesto da Fonseca e de Rita Rodrigues Barbosa); Adelita, no dia 20 de agosto, Terça-feira, do ano de 2013, da Era Cristã, completou seus 100 anos de idade... Falecida na data de 14 de setembro de 2013 (sábado), às 09H:00MIN (em sua casa), sepultada no Cemitério do Gama/DF; Cônjuge: José Paulo Leite; Filhos: Lenira Leite da Silva (IN-MEMORIAM); Leonilson Soares Leite; Francisco Soares Leite (IN-MEMORIAM); Leniêr Soares Cordeiro (IN-MEMORIAM); Leci Soares Leite; Letícia Soares Leite; Antonio Soares Leite (Toninho) e Lenita Soares Lira. Lenira Leite Silva (IN MEMORIAM), faleceu na data de 11 de setembro de 2007, sepultada no DF, foi casada com Valdino Ribeiro da Silva (IN MEMORIAM), filhos: Creusa Leite Da Silva, Miguel Leite Da Silva, Elza Leite Da Silva, Celina Leite Da Silva, José Leite Silva (In Memoriam) E Lino Leite Da Silva (In Memoriam); Viúva, Se Casou Com Severino Canuto De Oliveira; Aposentado; Filhos: Telsa de Oliveira e Jair Leite Silva. Celina Leite da Silva - Casada, Costureira, residente em Brasília/DF; esposo: José Osmar da Silva, bancário; Filhos: Erik, bancário (23 anos) e Raquel, acadêmica (19 anos). Telsa de Oliveira, Nascida na Cidade: Gama/DF, em 11 de janeiro de 1971; Professora na Escola Classe 33, Ceilândia, cidade satélite/Brasília - DF, Educação Fundamental - de 1 a 4, Graduada em Pedagogia, casada com Natail Conceição (Major da PM de Brasília/DF); filhos: Nathalia e Nathan de Oliveira. José Leite da Silva, falecido em 1991, filha, Danny Souza. Miguel Leite da Silva, esposa Marta Amaro. Leonilson Soares Leite, casado com Maria José Coelho (IN MEMORIAM), filhos: Jose Coelho Leite, Francisco Coelho Leite, Antonio Coelho leite, Lordes Coelho leite, luzia Coelho leite, Geraldo Coelho leite. Leniêr Soares Cordeiro (IN-MEMORIAM), residia no DF, foi casada com José Coelho Cordeiro (In Memoriam); Filhos: Paulo, Milton, Madson, Mauro Leite e Marinalva Leite Cordeiro Silva (Nalva). Marinalva Leite Cordeiro Silva (Nalva Leite), Filha de: Leniêr Leite Cordeiro e José Coelho Cordeiro (pai e mãe falecidos); casada com José Taveira da Silva; técnica em Enfermagem; filhos: Gleydson - 16 anos e Maria Rita - 6 anos; Irmãos: Paulo, Milton, Madson, Mauro. Antonio Soares Leite (Toninho), comerciante, casado com Lindalva Alves Leite; Filhos: Sidney Alves Leite - Silvinho (IN MEMORIAM); Danny Leite; Silvanderson Alves Leite (IN MEMORIAM). Danielle Alves Leite (Danny Leitte), nascida no DF, em 27 de janeiro de 1985, bacharela em Farmácia, solteira (noiva), filha – Maria Clara Nunes. Lenita Soares Lira, casada com Francisco de Assis Lira, filhos: Lavusier, Lindenberg, Lucrecia, Laiz. MAYCK PIRES CORDEIRO, filho de Mauro Leite e Maria Pires e Lanielle filha de Paulo Leite e a Mãe Elizete Da Silva.
2 - ADÍLIA SOARES LEITE (FALECIDA), viúva de Manoel Sebastião Oliveira (primeiro casamento); casou-se, depois, com Manoel José Vieira – Neco (in memoriam); Adília – foi compositora anônima; filhos do primeiro casamento: LAIZ-RO, ALDI-SP., JUSSIÊ (falecido) e Eliete. Laiz Soares Leite – Filha de: Adília Soares Leite e Manoel Sebastião Oliveira, casada com José Justino da Silva; Filhos: Aparecido Justino da Silva (Sido), Geneci Justino da Silva, Adão Justino da Silva e Maria Aparecida da Silva (Cidinha). MARIA APARECIDA DA SILVA (CIDINHA), Filhos: (um filho falecido), Sulayne, Marinilza E Claudinei; Cabeleireira Em Porto Velho/RO. Eliete Fernandes de Souza, Nascida em 14/abril/1944, Crato/CE, Dona de Casa (doceira), residente e domiciliada na rua Prof. Geraldo Longo, 1063, Jd. São Jorge – CEP – 87.710-010 – Paranavaí PR., Tel.: (0XX44 - 3424-7638) – casada, Filhos de Eliete: Ângela Fernandes de Souza, Rosângela Fernandes de Souza e Edson Fernandes de Souza.
3 - ALZIRA SOARES LEITE (FALECIDA), nascida em 30 de março de 1921, Crato/CE; (falecida); casada com João Gonçalves de Alencar (Joca), nascido em 10/01/1918, Araripe/CE e falecido na data de 04/07/2006 (Diamante do Norte/PR), pais: Silvino Alexandre de Alencar e Maria Pereira Silva; Filhos: Francinete; Hélio; Maria do Socorro; Letícia; Luzinete; Nena; José Aparecido e Elizabeth. Francinete Alencar, Comerciante; Viúva de Joveniano Marques de Jesus (Jove), Nascido em 03 de novembro de 1941 e falecido em 25 de setembro de 2005 (Diamante do Norte/PR); Filhos: Gleicia, Glauber, João e Iara.
4 - ANTÔNIO SOARES LEITE (FALECIDO); Casado com Francisca Holanda Cavalcante (Chiquinha – Falecida); filhos: Adalio, Antonio, Valdemar, Alzinete, Alzenir, Francinete, Maria Holanda, Francisca (Mazinha) e Geralda. Francisca Holanda Menezes – viúva de Antonio Pinheiro Menezes, residente e domiciliada na Rua Bento Moreira, 7B – JD. Alpino, Vila São José/SP. Telefone (11) 5927- 3248. Filhos: Hugo, Marcelo e Eliana. Júlia Holanda de Souza (irmã da Tia Chiquinha – casada com o Tio Antônio Soares Filho), Filha de Tirso Holanda Cavalcante e Maria Ferreira da Silva; residente e domiciliada a Rua Santa Mariana, 252, Nova Londrina/PR, Telefone (44) 3432-2092, viúva de Geraldo Pereira de Souza; filhos: Raquel, Lúcia, Cida, Maria, Valdenir, Aparecida e Adailton; Netos: Rian, Renan, Ludimila, Camila, Vanessa, Guilherme, Juliana, Fabiane, Flávia, Fabrício, Hagapto, Abelardo, Fábio, Adriana, Ricardo I, Ricardo II, e Macedo; Bisnetos: João Pedro, João Vítor e Jossiquelley.
5 - CAZUZA SOARES LEITE (FALECIDO); filho de: Antônio Soares Primo – nascido em Aurora/CE, fazendeiro em Crato/CE, faleceu aos 62 anos de idade; e de: Alexandrina Marcelina do Amor Divino (falecida aos 96 anos de idade), sepultada no Cemitério Municipal "São Apóstolo Paulo" da cidade e Comarca de Nova Londrina, Estado do Paraná.
6 - COSME SOARES LEITE - FALECIDO; Sitiante (Quatro Marcos no Município de Marilena/PR), nascido em 03 de outubro de 1915 - Araripe/CE, falecido na data de 26 de novembro de 2015, (aos 100 anos e 54 dias), sepultado no Cemitério Municipal São Apóstolo Paulo de Nova Londrina, Estado do Paraná. Aposentado; Nascido em 03 de outubro de 1915, na cidade de Araripe/Ce; Esposa: Joana Batistinha do Espírito Santo (Batista - falecida); residente no Município de Marilena/PR, Distrito dos “Quatro Marcos”; Filhos: Miguel Soares Leite; José Leite de Oliveira (Zé Leite); Antônio Soares Leite, Aubani Soares Leite, Auveni Soares Leite e Lisieux Soares Scolaro. Miguel Soares Leite, Filho de Cosme e Joana Batistinha; Nascido na cidade de Marilena, Estado do Paraná/Brasil, na data de 16 de junho de 1959; Eletricista; Residente no Continente Europeu - Portugal, na cidade de Paço de Arcos; Casado com Lenice de Freitas Leite, nascida na cidade de Marilena/PR, na data de 07 de fevereiro de 1971, Ensino Fundamental, filha de José de Freitas e Aparecida Ribeiro de Freitas; Filhos: Carla Leite, Douglas e Diogo; Neto: Miguel (filho de Douglas); Irmãos de Lenice: Leni Freitas; Elias; Elizeu e Elton. José Leite de Oliveira (Zé Leite), Filho de Cosme e Joana Batistinha; nascido no Município de Marilena, Estado do Paraná; Sitiante; Casado com Lenice Martins de Oliveira; Filho: Marcelo. Antônio Soares Leite, Casado com Gilda Soares Leite; Filhos: Flávia Soares Leite, Fabiana Soares Leite Jordão e Fábio Soares Leite. Lisieux Soares Scolaro, Nascida em 25 de novembro de 1950, cidade de Serra de Araripe/CE, do lar; casada com Aparecido Scolaro (Cido), nascido em 11 de junho de 1948, na cidade de Sertanópolis/PR, Aposentado, Metalúrgico; Residentes e domiciliados na Região de Santo Amaro/SP; Filhos: Nelson Carlos Scolaro e Simone Scolaro. Nelson – Nascido em 01 de outubro, Marilena/PR, Músico Trompetista e biólogo, casado, residente na cidade São Paulo; filhos: Nelson Carlos, Aline e Amanda.
7 - DULCINÉIA SOARES LEITE - FLORZINHA (FALECIDA), esposo: Emídio Germano; filhos:  Idelsuite, Otacílio, João, Antonieta e Francisco.
8 - ESPEDITO SOARES LEITE (FALECIDO); Agricultor; Nascido em 26 de junho de 1910 na cidade de Araripe/CE e Falecido em 2003, na cidade de Nova Londrina, onde está sepultado no Cemitério Municipal "São Paulo Apóstolo". Era casado no papel, mas não vivia com a esposa... não teve filhos.
9 - FLORISBELA SOARES LEITE (FALECIDA), nascida no Estado do Ceará; falecida; foi casada com Idelfonso José de Araújo (falecido); do lar, com quem teve os seguintes filhos: Jozi (falecido); José, Zuca (falecido); Eulira (falecida); Almir Crispim Leite (falecido); Nair, residente no município de Santo Amaro/SP; Anézio, residente em Rondônia/RO; e Enelza Crispim Leite (Nilza). Almir Crispim Leite (IN MEMORIAM), foi casado com Aldeide (filha de Lobélia e Joaquim Barroso), filhos: Mirovalda e Gisvalda. Enelza Crispim Leite (Nilza), nascida na cidade de Crato/CE, na data de 26 de outubro de 1931; Doméstica; Residente na cidade de Marilena/PR (Irmã da Congregação Cristã no Brasil); divorciada do ex-marido Lauro. Eulira Crispim (Falecida), nascida na cidade de Crato/CE; Cônjuge: Francisco Paulo da Silva (IN MEMORIAM)); Filhos: José Crispim da Silva (falecido), Francisco Fernando filho, Luiz Crispim da Silva, Aluísio Crispim da Silva, Luzia Crispim da Silva, Elison Crispim da Silva e Luiza Crispim da Silva. José Crispim da Silva (Falecido na data de 29/01/2017), casado com Alzira Leite da Silva; Filha única: Maria do Socorro da Silva, residente em Ceres/GO - Cônjuge: Vicente Siqueira Silva; filhos: karlla karolina e Vicente Neto.
10 - JESUS SOARES LEITE (FALECIDO); foi casado com Francisca Ramos de Souza; Filhos: Nelza Soares Leite, Mariá de Oliveira Messias Leick (Mariah Leick) e Antonio de Souza Soares (Tony Leite). Nelza Soares Leite, nascida em 15 de maio de 1964, Nova Londrina/PR; filha de: Jesus Soares Leite e Francisca Soares da Silva; divorciada; 2º grau incompleto; residente na Chácara do Bom Jesus, na cidade Nova Londrina/PR; Aposentada - Funcionária Pública Municipal; filhos: Martin Soares Teyseyre – nascido em 10 de fevereiro de 1999, cidade de Itaúna do Sul/PR; é estudante do ensino fundamental, 9º ano, Escola Estadual Vale do Tigre, Nova Londrina/PR; e Jonatham Soares Leite – Nascido em 21 de janeiro de 1986, registrado no município de São Jorge do Ivaí/PR, mas, nasceu no Paraguai, cidade Corpus Cristi (Fonte - sua mãe); Motorista; Escolaridade: Ensino Fundamental, 8º ano, Escola Estadual Vale do Tigre, Nova Londrina/PR; casado com Fernanda da Silva Melo, filha: Jheniffer. Antonio de Souza Soares (Tony Leite), nascido em 31/08/1968, na cidade de Nova Londrina/PR, residente em Diadema/SP, motorista de ônibus; 2º grau completo; filho de: Jesus Soares Leite e Francisca Ramos de Souza; Cônjuge: Luciene Xavier Silva Soares; Filhos: Monica Xavier Soares e Lara Cristina Xavier Soares. Mariá de Oliveira Messias Leick (Mariah Leick) – Nascida na cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná, na data de nascimento 22 de outubro de 1970; Divorciada; filhos com dinamarquês, Roberto da Silva Leick: Eros Gutemberg Leick (Falecido em 1992) e Niels Robert Leick (falecido em 96); Filho: Johan Brian Messias, nascido em 10/11/1999; Religião: creio em Deus e adoto várias coisas de religiões, mas não sigo nenhuma; Preferência política: Partido dos Trabalhadores (PT).
11- LOBÉLIA SOARES LEITE (FALECIDA); nascida em 12 de setembro de 1905, na cidade de Crato/CE, do lar; casada com Joaquim Barrozo Filho, nascido em 10 de novembro de 1901, Crato/CE, lavrador (falecido); Filhos: Edite; Edson; Edimilson; Valderi; Francisca; Alexandrina Gonçalves Fernandes (Menininha) e Aldeide; Filhos Falecidos: Maria, Leomar e Luzanira. Aldeide Soares de Pinho, nascida em 08 de maio de 1935, Dom Quintino/CE; foi casada com Almir Crispim Leite - filho de Florisbela (falecido em 2004), em 10 de julho de 1954, na cidade de Paranavaí/PR, filhos: Mirovalda e Gisvalda. Gisvalda Crispim Leite Valéria (Gisa), nascida em 04 de fevereiro de 1956, Nova Londrina, Estado do Paraná, casada com Ademar Mota Valério (IN MEMORIAM - 2008), filhos: Aldeide Samara, Silmara, Anderson e Maurielson. Mirovalda Crispim Leite Valério, nascida em 08 de fevereiro de 1958, na cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná, casada com Sebastião Valério (não tem filhos). Alexandrina Gonçalves Fernandes (MENININHA), mãe de: Sandra Gonçalves, solteira; Recepcionista em uma Clínica Médica; reside na cidade de São Paulo; 2º grau completo.
12 - OSMÍDIO SOARES LEITE (FALECIDO), filho de: PAI: Antônio Soares Primo – nascido em Aurora/Ce, fazendeiro em Crato/CE, faleceu aos 62 anos de idade; Mãe: Alexandrina Marcelina do Amor Divino (falecida aos 96 anos de idade), sepultada no Cemitério Municipal "São Paulo Apóstolo" da cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná/Brasil.
13 - PURCINA SOARES LEITE - DONINHA (FALECIDA); nascida em 22/09/1910, Crato – CE; casada com Alberto Correia Leite (Galo, falecido), falecida em 19/07/2006 (aos 96 anos) – no hospital Municipal de Nova Londrina, morte súbita, estava acompanhada do seu filho Aluísio; sepultada no Cemitério Municipal São Paulo Apóstolo de Nova Londrina, junto ao seu esposo; Filhos: Aluísio Correia Leite, Valdete e Leniê (Niê). Aluísio Correia Leite – nascido em 04 de abril de 1940, Araripe CE; Aposentado; Casado com Maria Kogler Leite (IN-MEMORIAM, 14/01/2012 - Sepultada em Nova Londrina) - nascida em 31 de outubro de 1942 na cidade de Rio das Antas/SC, filha de Fernando Kogler e Pascoalina Kogler; Filhos: Nivaldo, Vilmar, Irene, Ivonete, Luciana e Silvana. Nivaldo Correia Leite – foi casado com Edna Luzia Moreira, filhas: Bruna Moreira Leite e Beatriz. Vilmar Kogler Leite - Residente na cidade de Nova Londrina/Pr, sitiante, casado com Arminda; filhos: Higor e Hudson. Irene Kogler Leite, casada com Paulo Ferreira IIN MEMORIAM); Filhos: Ana Paula Araújo e Franklin. Ana Paula Kogler - filha de Irene Leite Kogler e Paulo Ferreira (falecido); nascida na cidade de Nova Londrina em 1984, no Hospital Santa Terezinha, Estado do Paraná/Brasil; Escolaridade - 2º grau incompleto; Embaladora; reside em Idanha/Lisboa/Portugal (Continente Europeu), casada com Antonio Cunha; Filho: João K. Martinho. Leniê Correia Leite – Filho Eduardo e Elizângela (Li - Mora na cidade de Nova Londrina. Valdete Correia Leite – comerciante, dona do Restaurante da Valdete em Nova Londrina, Filha de Alberto e de Doninha; separada do Chico (IN MEMORIAM); Filhos: Celso (falecido); Célia; Selma; Simone e Vera Lúcia.

2.6 Origem da Família Soares

Soares é um sobrenome classificado como patronímico de origem portuguesa e espanhola, sendo baseado no nome próprio Soeiro, que por sua vez vem do latim suarius, que significa “pastor de suínos”. No português arcaico era comum este nome ser registrado como Soáriz ou Suáriz.  O sobrenome Soares pertence a uma das mais antigas e ilustres famílias de Portugal. “Este sobrenome significa ‘filho ou descendente de Soeiro”. Soeiro é derivado do termo alemão antigo "Sug-hari", que literalmente se traduz como "exército sul".
Foram duas as principais famílias portuguesas de linhagem nobre que levaram este sobrenome. Uma foi os Soares de Albergaria, que usavam simplesmente Soares como nome de família. A outra foi Soares de Tangil, da qual o primeiro portador deste sobrenome foi Soeira Afonso de Tangil, senhor da torre de Tangil, no distrito de Monção. Uma das figuras muito admiradas e reverenciadas pelos portugueses, sem dúvida incluindo passados e atuais membros de ilustre família Soares, é a Santa Elizabeth de Portugal (1271-1336), também conhecida como "A Pacificadora" e "A rainha Santa".
Os Soares têm no Brasil uma grande parte de seus descendentes. Se você é um Soares ou possui o sobrenome de uma de suas variantes, vai gostar de saber mais informações sobre origem, curiosidades e brasão desta família.
O sobrenome Soares, assim como tantos outros, não surgiu no Brasil, por uma simples razão de que o Brasil foi colonizado e habitado primeiramente por estrangeiros. Dessa forma, os sobrenomes vêm de outros países e acabam ganhando popularidade uma vez que os imigrantes fizeram do Brasil sua nova morada. Este é um sobrenome de origem portuguesa. Ele é classificado como patronímico, uma vez que deriva de um nome próprio, que provavelmente seria o fundador da família.
Ele é uma variação de Soarez, derivado de Suáriz, Suárizi, do latim Suárici, classificado como sendo um patronímico, pois deriva de um nome próprio, vem do nome Suário o mesmo que Soeiro.
Ao que consta, este é um sobrenome que possui várias origens de linhagem. Mesmo assim pode se considerar todas elas como patronímicas, onde o sobrenome é proveniente de um nome e a terminação “es” significa “filho de”.
Em 1554 foi registrado em documentos como Soarez e em português arcaico existem registros de Soáriz e Suáriz. Segundo alguns historiadores a família Soares teve sua origem em Toledo.
A palavra Soeiro, que é o nome do qual deriva o sobrenome é do latim Suarius e significa pastor de suínos. A criação de porcos era bem comum naqueles tempos e por isso este nome passou a ser disseminado entre os descendentes.
Dentre as variantes conhecidas de Soares podemos destacar Suaréz e Soarez. Estas são bastante conhecidas em países hispânicos. Outras variantes são encontradas na história deste sobrenome, mas estas são pouco, ou quase nada usadas atualmente.

3. Brasão da Família Soares.

O brasão da família Soares é constituído de um escudo de vermelho com uma torre de prata em seu interior. Em seu timbre é possível ver a mesma torre de prata do escudo. Este é um dos brasões mais originais da família Soares. Mesmo assim, não pode se dizer que ele é único, uma vez que existem várias linhagens dos Soares.

2.7 Origem da Família Leite

A família LEITE teve origem na Idade Média. Nobres do Reino da Borgonha (hoje a Borgonha é um distrito da França) que foram para o Reino de Portugal, ajudar nas lutas da Reconquista Cristã para expulsar os árabes da Península Ibérica, recebendo feudos e tornando-se vassalos do rei de Portugal. Como eles tinham a pele muito branca, alguns deles receberam o apelido (alcunha) "LEITE", sendo que essa alcunha deu origem ao sobrenome idêntico. A família LEITE produziu chefes militares, navegadores, administradores coloniais, santos, etc., sendo que alguns membros dessa família vieram depois para o Brasil e geraram uma extensa descendência, que se espalhou por todo o país e até países vizinhos.
A família Leite tem seus descendentes aqui no Brasil. O sobrenome não chega a ser tão popular como um Silva, Souza ou Oliveira, mas tem uma boa incidência. Confira abaixo informações sobre origem, história e brasão dos Leite.
O sobrenome Leite, assim como tantos outros, não surgiu no Brasil, por uma simples razão de que o Brasil foi colonizado e habitado primeiramente por estrangeiros. Dessa forma, os sobrenomes vêm de outros países e acabam ganhando popularidade uma vez que os imigrantes fizeram do Brasil sua nova morada.
Este é um sobrenome de origem portuguesa e primitiva. Ele vem derivado de uma alcunha, um apelido. Geralmente, esse tipo de origem se dá pelo fato de o portador inicial ter alguma característica física ou condição a qual lhe fez receber o apelido. Ao que parece, o caso da família Leite foi o fato de o seu fundador gostar muito de leite. É uma origem simples, mas foi o motivo do apelido recebido.
Os primeiros registros do sobrenome Leite vieram em 1258. Ao que parece, o mais antigo deste sobrenome registrado foi Petrus Leite de Guimarães, um senhor de várias propriedades no Minho. 
Existiu também o senhor Álvaro Anes Leite, que viveu nos tempos de D. João I, rei de Portugal. Ele era descendente direto pelo lado materno, o que fazia dele um membro da nobreza. Ele foi senhor dono de muitas terras na província de entre Douros e Minho. Dentre seus feitos, tirou a terra de Calvos das mãos de João Rodrigues e por sua lealdade à Corte, teve seu Brasão de concedido por Decreto do Rei D. João I. A variante mais comum de ser encontrada deste sobrenome é Leitte. Ela, no entanto, não é tão comum como o nome original, mas pode ser encontrada

4. Brasão da Família Leite
 Fonte: http://www.origemdosobrenome.com/familia-leite/
O brasão encontrado da família Leite se constitui de verde com três flores de lis em ouro postas duas em cima e uma embaixo. O seu timbre é feito pela mesma flor de lis do escudo, em tamanho maior, também de ouro. É possível encontrar outros modelos de brasão dessa família, mas ao que parece, esse é o mais original deles. Por este ser um nome comum, é possível encontrar outras origens e outros brasões.

3. O CONCEITO DE FAMÍLIA E SUA EVOLUÇÃO

A família é o âmago da sociedade e o lugar no qual se insere o indivíduo mais intimamente, estando nela implantado pelo nascimento ou por laços afetivos, sendo correto dizer que é através dela que adquire sua personalidade e seu caráter¹; não só isso, é uma instituição anterior ao Direito e ao Estado, bem como essencial e básica para formação do indivíduo.
Nessa senda, Carlos Roberto Gonçalves² leciona que o Direito de Família é o mais ligado a vida do indivíduo, haja vista as pessoas advirem de um organismo familiar, e permanecerem ligadas a um por durante toda sua vida, ainda que venham a constituir um novo (seja pelo casamento, reprodução, etc.).  Disserta ainda que a família é uma realidade sociológica e a base do Estado, constituindo o núcleo fundamental onde repousa toda a organização social. Vista sob qualquer prisma, a família é essencial e sagrada, e merece toda e qualquer proteção do Estado.  Nessa linha de raciocínio, a Constituição Federal e o Código Civil vigente reportam-se a Família, entretanto não a definem, pois não existe um conceito certo, seja perante o Direito ou à Sociologia.
Já Luiz Gonzaga de Mello aduz que se podem verificar várias instituições dentro da própria instituição familiar, tais como o namoro, noivado, casamento, a vida conjugal e seus papéis – pai, mãe, sogros, etc. No entanto, reconhece que, embora verifique-se em cada sociedade formas  diferentes  de  família,  elas  tem um  reconhecimento universal, sendo certo afirmar que termo “família” é  vago, mas pode significar grupos  compostos de pais e filhos, uma linhagem patrilinear, bem como um grupo cognático ou um grupo de parentes e seus descendentes que vivem juntos.³

­­­­­­­­­__­­­­___________________
1 LOCKS, Jéssica   Cristina   dos   Anjos. As   Novas   Modalidades   de   Família 2012.   Disponível   em: . p. 1. Acesso em: 01 set. 2014.
2 GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro Direito de Família.  8ª Edição.  São Paulo.  Ed. Saraiva, 2011. p. 17.
3 MELLO, Luiz Gonzaga de. Antropologia Cultural:  Iniciação, teoria e temas.  17ª Edição.  Ed.  Petrópolis, Vozes.  2009. Apud NOBRE, Rodrigo Igor Rocha de Souza.  Conceito e Evolução do Direito de Família.  2014. Acesso em: 01 set. 2014.


4. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA


O termo “família” advém da expressão latina famulus, que significa “escravo doméstico”, que designava os escravos que trabalhavam de forma legalizada na agricultura familiar das tribos ladinas, situadas onde hoje se localiza a Itália. A evolução da família, em especial dentro das sociedades ocidentais, baseou-se em seu princípio na consanguinidade entre seus membros, isto é, na origem comum de seus membros, formando-se grandes grupos familiares originários de um único patriarca.
A genealogia é uma ciência que estuda a origem, evolução e disseminação das várias gerações de uma família. A partir de informações buscadas em documentos e certidões de pais, tios, avós e bisavós, etc., as pessoas conseguem descobrir seus antepassados e quando e onde eles nasceram. A visita em cartórios, igrejas, arquivos públicos, museus e bibliotecas também podem auxiliar na busca por mais informações.
A partir dessa busca é possível construir a árvore genealógica de uma família com nomes, datas e lugares por onde andaram nossos antepassados, de forma que sejam mantidos vivos na memória de seus descendentes.
A árvore genealógica também pode ser chamada de heredograma (do latim heredium, herança), que é a representação gráfica das relações de parentesco entre os indivíduos de uma família. No heredograma, cada indivíduo é representado por um símbolo, que mostra as suas características particulares e a relação de parentesco com os demais. Geralmente, os indivíduos do sexo masculino são representados por quadrados, enquanto os do sexo feminino são representados por um círculo. O casamento, no sentido biológico de procriação, é representado por um traço horizontal unindo o casal, e os filhos desse casamento são indicados por traços verticais unidos ao traço horizontal do casal, como mostra a figura abaixo.

1. Símbolos utilizados na construção de um heredograma
                                                 Fonte - Paula Louredo - Graduada em Biologia.

Os heredogramas são muito empregados em problemas de genética, e no caso da espécie humana, a construção de heredograma é importante para a verificação do padrão de herança das características, facilitando ao geneticista saber se um traço fenotípico é hereditário ou não, e de que modo esse traço é herdado.
A história de uma família, pode ser identificada por meio da árvore genealógica. Nela pode-se colocar todas as pessoas que fazem parte de uma mesma família e ramificar os graus de parentesco por meio dos galhos das árvores. Uma árvore nasce de uma mesma semente, seus galhos ramificam e suas folhas não são iguais, mas são semelhantes, assim da mesma forma são as famílias. Não são iguais, mas todas são parecidas, assim como as árvores não são iguais, mas são parecidas e podem fazer essa relação entre as famílias.
As folhas mais novas de uma árvore são representadas pelas crianças de uma família. Os galhos mais finos podem representar os pais, pois nasceram antes das folhas. Dos galhos mais grossos nasceram os galhos mais finos, como os pais que nasceram dos avós. Todos possuem uma mesma origem, assim como as árvores possuem uma origem comum que são as raízes.
A família é formada por laço consanguíneo, por adoção, ou simplesmente, por um gesto de amor.  Biblicamente, todo ser humano tem um parentesco, pois, criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. Gênesis 1:27,28.
Todos os homens são filhos de Deus. E, Deus disse: Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. Gênesis 2:24. E dessa forma estava criado o laço familiar de geração em geração.
De acordo com a definição de Silveira Bueno, considera-se família o conjunto de pai, mãe e filhos, pessoas do mesmo sangue, descendência, linhagem. Etimologicamente, a palavra família prende-se ao verbete latino famulus, escravo, porém, em sua acepção original, família era evidentemente a família proprio iure, i.e., o grupo de pessoas efetivamente sujeitas ao poder do paterfamilias. Noutra acepção lata e mais nova, família compreendia todas as pessoas que estariam sujeitas ao mesmo paterfamilias. Em ambos os conceitos de família, a base do liame são pessoas e a autoridade do paterfamilias, que congrega todos os membros.  
A família natural foi adaptada pela Igreja Católica, que transformou o casamento em instituição sacralizada e indissolúvel, e única formadora da família cristã, formada pela união entre duas pessoas de diferentes sexos, unidas através de um ato solene, e por seus descendentes diretos, a qual ultrapassou milênios e predomina até os dias atuais.

Cânon 1055, §1º: A aliança matrimonial, pela qual o homem e a mulher constituem entre si uma comunhão da vida toda, é ordenada por sua índole natural ao bem dos cônjuges e a geração e educação da prole, e foi elevada, entre os batizados, à dignidade do sacramento.

Em razão da colonização portuguesa no Brasil, este foi fundado mediante preceitos da Igreja Católica Apostólica Romana, o que se refletia no direito vigente no país, as Ordenações Filipinas, de 1595. A única entidade familiar reconhecida pelas Ordenações Filipinas era a formada pelo casamento, que poderia se dar de forma solene, realizado na Igreja e atrelado à conjunção carnal entre os nubentes, e o casamento decorrente do trato público e da fama, chamado de casamento com marido conhecido, modalidade não reconhecida pelo direito canônico. Todavia, ainda que esta forma de casamento não solene contrariasse a doutrina Católica, em especial o Sagrado Concílio Tridentino de 1564, ambas as formas previstas na legislação filipina deveriam atender aos preceitos católicos, como a indissolubilidade.
Aqui no Brasil, por muito tempo, a Igreja Católica foi titular quase que absoluta dos direitos matrimoniais; pelo Decreto de 3 de novembro de 1827 os princípios do direito canônico regiam todo e qualquer ato nupcial, com base nas disposições do Concílio Tridentino e da Constituição do Arcebispado da Bahia.

4.1     Conceito de família

O vocábulo família pode possuir vários significados para as diversas áreas das ciências humanas, como a sociologia, a antropologia ou o direito. No entanto, para os fins deste estudo, limitar-se-á aos conceitos trazidos pela ciência jurídica.  A legislação pátria não apresenta um conceito definido da família. Assim, tome-se para efeitos didáticos as três acepções do vocábulo família elencados por Maria Helena Diniz, que são o sentido amplíssimo, o sentido lato e a acepção restrita.
No entendimento da professora, família no sentido amplíssimo seria aquela em que indivíduos estão ligados pelo vínculo da consanguinidade ou da afinidade. Já a acepção lato sensu do vocábulo refere-se àquela formada “além dos cônjuges ou companheiros, e de seus filhos, abrange os parentes da linha reta ou colateral, bem como os afins (os parentes do outro cônjuge ou companheiro) ”. Por fim, o sentido restrito restringe a família à comunidade formada pelos pais (matrimônio ou união estável) e a da filiação.
A legislação pátria abrange as três acepções trazidas pela autora, sendo aplicável cada uma em diferentes aspectos das relações familiares, graduando os direitos e obrigações de acordo com a proximidade do círculo familiar. Quem melhor sintetiza o sentido de família constante no ordenamento jurídico brasileiro é o ilustre Orlando Gomes, que considera família “o grupo fechado de pessoas, composto dos genitores e filhos, e para limitados efeitos, outros parentes, unificados pela convivência e comunhão de afetos, em uma só e mesma economia, sob a mesma direção.
Depreende-se dos conceitos trazidos por esses e outros doutrinadores a intenção do legislador em considerar a família não apenas enquanto instituição jurídica, mas em sua importância social, em suas várias formas e variações. Na lição de Paulo Lôbo:
Sob o ponto de vista do direito, a família é feita de duas estruturas associadas: os vínculos e os grupos. Há três sortes de vínculos, que podem coexistir ou existir separadamente: vínculos de sangue, vínculos de direito e vínculos de afetividade. A partir dos vínculos de família é que se compõem os diversos grupos que a integram: grupo conjugal, grupo parental (pais e filhos), grupos secundários (outros parentes e afins).


Assim, para o Direito, família consiste na organização social formada a partir de laços sanguíneos, jurídicos ou afetivos.

4.2   A Constituição Federal de 1988 e o Código Civil de 2002

A Constituição Federal de 1988 dispensou um tratamento especial ao Direito de Família, reservando um capítulo destacado apenas para este ramo do Direito (Capítulo VII do Título VIII), que sofreu profunda transformação. Em contraposto ao modelo autoritário e patriarcal definido pelo Código Civil de 1916, o modelo de família depreendido do texto constitucional é fundado em preceitos como a igualdade, solidariedade e do respeito à dignidade da pessoa humana, fundamentos e ao mesmo tempo objetivos do Estado brasileiro.
Ao mesmo tempo em que a nova Constituição confirmou normas já existentes no ordenamento jurídico brasileiro, como a gratuidade do casamento e a garantia de efeitos civis ao casamento religioso, inovou ao reconhecer como entidade familiar a união estável entre o homem e a mulher, ao igualar o homem e a mulher na sociedade conjugal, e ao vedar a quaisquer diferenças de direitos, de qualificação ou de tratamento entre os filhos havidos na constância do casamento ou fora dele, ou por adoção.
A Constituição de 1988 realizou enorme progresso na conceituação e tutela da família. Não aboliu o casamento como forma ideal de regulamentação, mas também não marginalizou a família natural como realidade social digna de tutela jurídica. Assim, a família que realiza a função de célula provém do casamento, como a que resulta da “união estável entre o homem e a mulher” (art. 226, §3º), assim como a que se estabelece entre “qualquer dos pais e seus descendentes”, pouco importando a existência, ou não, de casamento entre os genitores (art. 226, §4º).
Ao igualar o filho havido por adoção aos filhos de origem sanguínea e reconhecer como família a união decorrente do companheirismo, chamada de união estável, a Constituição Federal de 1988 foi o primeiro dispositivo jurídico brasileiro a reconhecer e igualar o afeto como formador da família, sem distinção aos laços decorrentes do casamento ou de sangue.
Em consonância com a Constituição de 1988 foi promulgada a Lei nº 8.971/94 - que dispõe sobre o direito dos companheiros a alimentos e a sucessão - e a Lei nº 9.278/96 – que regula o artigo 226, §3º da Constituição Federal, que trata da união estável, sendo garantidos às relações formadas sem o ato solene do casamento os direitos garantidos pelo texto constitucional.
As normas constitucionais que dispõem sobre a família só foram regulamentadas pela legislação infraconstitucional com a promulgação da Lei nº 10.406, de 10/01/2002, o atual Código Civil.
Dentre as relevantes novidades trazidas pelo Código Civil de 2002 está a expressa igualdade dos cônjuges no seio familiar, extinguindo-se o poder patriarcal, bem como a atualização da dissolução do vínculo conjugal, por meio da separação e do divórcio; a atualização da adoção, sem qualquer distinção entre os filhos de sangue e os adotados; a regulamentação da união estável entre o homem e a mulher, bem como o reconhecimento de direitos decorrentes das relações concubinas.
Dessa forma, verifica-se que o novo diploma civil, em consonância com os preceitos irradiados pela Constituição Federal de 1988, abrange em seu texto várias modalidades de família, formadas por relações consanguíneas, por atos jurídicos solenes ou pelo afeto.
O afeto, enquanto formador da família, está diretamente presente na adoção e nas relações de convivência, como a união estável, vez que enquanto essas não dependem de consanguinidade ou solenidade, a formalidade que pressupõe a adoção é resultado exclusivo do afeto demonstrado pelos pais.
Todavia, não obstante as evoluções legislativas trazidas pelo Código Civil de 2002, é importante frisar que seu projeto data da década de 70, tendo sofrido inúmeras emendas e modificações ao longo de quase trinta anos de trâmite, não apenas em razão da Constituição de 1988, que exigiu uma reforma quase integral do diploma civil, como das naturais mudanças necessárias pelo próprio decurso do tempo. Não obstante, em razão de tantas modificações e do longo trâmite, o Código Civil não conseguiu abranger todas as mudanças que se mostraram necessárias nos quase noventa anos de vigência do Código anterior ou mesmo dos quase quinze anos de promulgação da Constituição de 1988. Nas palavras de Maria Berenice Dias: “o novo Código, embora bem-vindo, chegou velho”.   
Mais recentemente, juristas como Maria Berenice Dias têm defendido a chamada adoção à brasileira, que tem origem no elo afetivo e levam ao reconhecimento do vínculo jurídico da filiação. Nas palavras da jurista, “é de tal ordem a relevância que se empresta ao afeto que se pode dizer agora que a filiação se define não pela verdade biológica, nem a verdade legal ou a verdade jurídica, mas pela verdade do coração”.
Ademais, a parentalidade socioafetiva está ganhando destaque nos tribunais pátrios, tanto que foi objeto de dois enunciados na I Jornada de Direito Civil, promovida pelo Conselho da Justiça Federal, sob a chancela do Superior Tribunal de Justiça, que não apenas reconheceram a instituição da parentalidade socioafetiva, como demonstraram o valor do afeto no ordenamento jurídico brasileiro, como se verifica a seguir:
Enunciado nº 103 – O Código Civil reconhece, no art. 1.593, outras espécies de parentesco civil além daquele decorrente da adoção, acolhendo, assim, a noção de que há também parentesco civil no vínculo parental proveniente quer das técnicas de reprodução assistida hieróloga relativamente ao pai (ou mãe) que não contribuiu com seu material fecundante, quer da paternidade socioafetiva, fundada na posse do estado de filho.
Enunciado nº 108 – No fato jurídico do nascimento, mencionado no art. 1.603, compreende-se à luz do disposto no art. 1.593, a filiação consanguíneo e também a socioafetiva.
Assim, depreende-se do ordenamento jurídico pátrio, em especial da Constituição Federal de 1988, dos estudos acadêmicos e dos tribunais brasileiros que o afeto transcendeu a figura de elemento ou origem da família, e se tornou um valor inerente às relações familiares e deve ser encarada como um princípio que se irradia por todo o Direito de Família.

5. METODOLOGIA  

O método utilizado para o desenvolvimento deste trabalho foi o de pesquisas bibliográficas, artigos, sites da internet, entrevistas presenciais, videoconferências web e em redes sociais. Juntou-se documentos com a fé pública: certidões de nascimentos, casamentos, atestados de óbitos e outros, além de fotos e imagens atuais e antigas. Certificou-se que contém na estirpe ramificações de vários sobrenomes, tais como: Alves; Brito; Cavalcante; Conceição; Correia; Feitoza; Jesus, Kogler; Lima, Primo; Rodrigues; Sampaio e Vieira. Houve a colaboração dos familiares conhecidos e despertou a participação daqueles que foram descobertos e contactados ao longo da coleta de dados, residentes em diversos Estados do Brasil e no Exterior. 

6. ANÁLISE DO CONTEÚDO


            Em virtude da pesquisa efetuada junto às Famílias Fernandes de Almeida e Soares Leite, unidas pelo casamento de João Fernandes de Almeida e de Lêda Soares de Almeida, foi possível concluir que os documentos, comprovadamente, tinham fé pública, pois se tratavam de Certidões de Nascimentos, de Casamentos, de Divórcios e de Certidões de Óbitos; houve a juntada de fotos atuais e antigas e outros documentos que surgiram no decorrer do trabalho.
As informações coletadas vias entrevistas presenciais e virtuais foram realizadas com pessoas de várias idades, em especial, com os da terceira idade e familiares entre setenta e noventa e cinco anos. De acordo com a investigação elaborada, chegou-se a árvore genealógica da quinta geração, do bisneto de João Fernandes de Almeida e de Lêda Soares de Almeida (neto de Osmar Soares Fernandes e Leny Gomes Gilglioli – JOÃO VITOR FERNANDES SÔDA (filho de Jackeline e Luís).
As histórias das famílias foram contadas por familiares mais velhos e por aqueles que viveram o fato. Alguns Acontecimentos Históricos do Brasil e do Mundo foram transcritos de forma sucinta, relacionados com o nascimento e morte dos antepassados mais antigos.
O desfecho deste memorial revelou o brilhante destaque social, político, econômico, cultural e religioso além da linha dos ancestrais até os seus descendentes, o que evidenciou as relações de parentescos. Aproximou ainda mais a família e uniu os familiares distantes e desconhecidos, o que gerou um espírito de harmonia e contentamento coletivo familiar.

7. CONSIDERAÇÕES FINAIS
                       
O desenvolvimento do presente estudo possibilitou analisar as genealogias e as histórias das famílias “Fernandes de Almeida e Soares Leite”, a partir do casamento de João Fernandes de Almeida (IN MEMORIAM) e de Lêda Soares de Almeida. O processo de apuração de resultados permitiu assim, que, os objetivos propostos foram alcançados. Verificou-se ao longo desta pesquisa que o casal deixou de legado, além da honestidade, do trabalho, do estudo, da política e da vida social: o valor indissolúvel – o amor.
Durante a pesquisa foi possível avaliar a origem e a história das famílias. Houve uma participação e uma colaboração maciça, o que foi determinante para o sucesso deste trabalho. Percebeu-se que, gerou nos entrevistados uma satisfação, uma vontade de resgatar a própria história e deixar a sua registrada para a posteridade.
Dada à importância do assunto, notou-se que, os antepassados se casaram no Cartório e na Igreja, com a finalidade de constituírem a família. “Nas cerimônias religiosas os noivos juraram amor eterno, respeito e cumplicidade; até que a morte os separe”. Está inserido a lei no casamento – a chancela do homem, e na doutrina religiosa – o selo, a bênção de Deus.
         Com o fechamento deste trabalho pôde-se analisar a espinha dorsal deste Memorial, a pedra angular, o valor que consolidou o laço familiar de geração a geração: o amor, o respeito e o trabalho honesto – o maior legado deixado pelos antepassados. A imensa família espalhada pelos quatro cantos do mundo se orgulha da estirpe a que pertence.
Ao se aprofundar e estudar essa história se observou certos acontecimentos social, político, econômico, cultural e religioso, dos séculos XIX e XX, das sociedades brasileira e mundial. A grandeza dessa gente, transmitida de geração a geração, ensinou, emocionou e revelou o amor incondicional em todos os momentos. O que este Memorial propiciou ao longo do seu desenvolvimento foi a organização da genealogia, o conhecimento histórico e a juntada de material relevante. O que despertou o interesse da família foi resgatar a história, registrar a vida dos ancestrais e unir os parentes desconhecidos numa árvore que já era sua. Portanto, conclui-se que, lugar de parente é na sua árvore genealógica.

                               12. Fotos e a Árvore genealógica de Osmar S. Fernandes
                                  Acervo: Osmar S. Fernandes.


REFERÊNCIAS


A CONSTITUIÇÃO da República Federativa do Brasil de 1988. Artigo nº 226 da Constituição da República Federativa do Brasil do ano de 1988. Disponível, em: https://www.jusbrasil.com.br/topicos/10645133/artigo-226-da-constituicao-federal-de-1988. Acesso em 02 de julho de 2017
BLOG do Osmar Fernandes. Família Fernandes & Soares Leite. Disponível, em: http://lingua-bocaberta.blogspot.com.br/2011/01/memorial-da-familia-fernandes-soares.html/ Acesso na data de 03 de julho de 2017.
CUNHA, Matheus Antonio da. Conceito de Família. Advogado, associado ao escritório de advocacia Pedroso Advogados Associados (OAB/SP nº 5.918), sediado em Piracicaba/SP. Graduado em Direito pela Universidade Metodista de Piracicaba (2009). Disponível> http://investidura.com.br/biblioteca-juridica/artigos/historia-do-direito/170332. Acesso em 07 julho de 2017.
DINIZ, Maria Helena. Código Civil Comentado. 10ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2004. GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro Direito de Família.  8ª Edição.  São Paulo.  Ed. Saraiva, 2011. p. 17.
FERNANDES, Osmar Soares. Nova Londrina, Rainha do Noroeste, 60 anos de história. 1ª Ed. Paraná: Editora Assoeste (Cascavel), 2010, páginas: 162, 254, 260.
LOCKS, Jéssica   Cristina   dos   Anjos. As   Novas   Modalidades   de   Família 2012.   Disponível   em: . p. 1. Acesso em: 01 de outubro de 2015.
LOUREDO, Paula. Graduada em Biologia. O que é genealogia? Disponível> http://brasilescola.uol.com.br/biologia/genealogia.htm. Acesso na data de 08 de julho de 2017.
MELLO, Luiz Gonzaga de. Antropologia Cultural:  Iniciação, teoria e temas.  17ª Edição.  Ed.  Petrópolis, Vozes.  2009. Apud NOBRE, Rodrigo Igor Rocha de Souza.  Conceito e Evolução do Direito de Família.  2014. Disponível em: Acesso em: 01 junhos de 2016.
NOVA Versão Internacional / BÍBLIA DO EXECUTIVO, organizada por Sid Buzzell; Tradução Valdemar Kroker. – São Paulo. Ed. Vida, 20004. Gênesis 1:27,28; Gênesis 2:24.
ORIGEM da família Fernandes. Família Fernandes. Disponível> www.familia.fernandes.nom.br na data de 08 de julho de 2017.
ORIGEM da família Leite. Família Leite. Acesso na data de 03 de julho de 2017. Disponível, em: http://www.origemdosobrenome.com/familia-leite. Acesso na data de 05 julho de 2017.
ORIGEM da família Soares. Família Soares. Acesso na data de três de julho de 2017, da Era Cristã, disponível, em; http://www.origemdosobrenome.com/familia-soares/ Acesso em 03/07/2017
SILVEIRA BUENO, Francisco. Minidicionário da Língua Portuguesa. 3ª ed. São Paulo: Editora Lisa S.A.

2 comentários:

  1. O Pássaro Cativo (poema favorito de Doquinha):

    Armas, num galho de árvore, o alçapão; E, em breve, uma avezinha descuidada, batendo as asas cai na escravidão. Dás-lhe então, por esplêndida morada, A gaiola dourada; dás-lhe alpiste, e água fresca, e ovos, e tudo: Porque é que, tendo tudo, há de ficar O passarinho mudo, Arrepiado e triste, sem cantar? É que, crença, os pássaros não falam. Só gorjeando a sua dor exalam, sem que os homens os possam entender; se os pássaros falassem, talvez os teus ouvidos escutassem este cativo pássaro dizer: “Não quero o teu alpiste! Gosto mais do alimento que procuro na mata livre em que a voar me viste; tenho água fresca num recanto escuro Da selva em que nasci; Da mata entre os verdores, tenho frutos e flores, sem precisar de ti! Não quero a tua esplêndida gaiola! Pois nenhuma riqueza me consola de haver perdido aquilo que perdi ... prefiro o ninho humilde, construído de folhas secas, plácido e escondido Entre os galhos das árvores amigas... solta-me ao vento e ao sol! Com que direito à escravidão me obrigas? Quero saudar as pompas do arrebol! Quero, ao cair da tarde, entoar minhas tristíssimas cantigas! Por que me prendes? Solta-me covarde! Deus me deu por gaiola a imensidade: Não me roubes a minha liberdade ... Quero voar! Voar! ... “ Estas cousas o pássaro diria, se pudesse falar. E a tua alma, criança, tremeria, vendo tanta aflição: E a tua mão, tremendo, lhe abriria A porta da prisão...

    Olavo Bilac: Do livro: Poesias Infantis, Ed. Francisco Alves, 1929 – RJ

    ResponderExcluir

Obrigado por você me visitar! Fico grato e volte sempre. Encaminhe a mensagem desejada a um amigo(a); faça desse blog sua leitura virtual diária. Enviei-me sugestões.

Felicidade sempre!