Total de visitantes até hoje

sábado, 10 de novembro de 2018

Guarda Mirim de Nova Londrina/PR


sábado, 13 de outubro de 2018

NOVA LONDRINA EM AÇÃO - 2º ENCONTRO DOS AMIGOS, 13 de outubro 2018

O 1º GRUPO DE WATSAPP DAS 3 FRONTEIRAS DO PARANÁ



          Aconteceu, neste sábado, 13 de outubro, o 2º encontro dos amigos, do grupo do whatsapp.com, Nova Londrina em Ação, na Parada Obrigatória: Lanchonete e Restaurante da Silvaninha (local: CTG 3 Fronteiras).
         Comandado pelo Luciano, pelo Cido Augusto – filho do saudoso Lino Pintor (Curitiba), Alemão e outros. 
          Coube a organização do Evento a preparação do almoço regado a churrasco. Houve o Karaokê, onde nossos amigos e amigas soltaram a voz maravilhosa com belíssimas canções. O envolvimento dos amigos colaboradores e patrocinadores foram fundamentais para o sucesso do acontecimento.
          Houve o sorteio de um brinde (jarra), onde a participação foi exclusivamente feminina (patrocinado pelo Cido). E, durante a festividade, o aniversariante da festa (Cido), foi parabenizado por todos, com direito a bolo e muita alegria. 



AGRADECIMENTO: 
          A colaboração especial, do Alemão, que providenciou e dou a mandioca, que veio de Terra Rica.

PATROCINADORES:

Arlindo Troian e família;

Josefa e família;

Edson e família;

Natalino e família;

Osmar Fernandes e família;

Cleonira Borges;

Zeza Maria;

ArtDesgn – Aparecido augusto;

Luciano Pereira e família;

Vico Bono e família;

Antonio e Lurdes;

Francisco e Dazinha;

Gabriel das Bombas;

Ivany e família;

Zé Picareta e famíli
a;

APOIO:

ExpresssPaint;


Café do Lino;

Espetinho do Cordeiro;

Bicicletaria Brasil;

Parada Obrigatória Lanchonete e Restaurante;

Fernando Veículos;

Ferro Velho Caburé;

Construtora Pecini;

Serralheria 2 irmãos;

Alemão Guia Turístico Pesca;

Butano, Daniel Gás;

Rose Carla e doces;

Farma Veit;

Bruno Bombeiro;

Rosinski Imóveis;


Rodrigo Mathias.

PARTICIPANTES:

Silvaninha, Marlene, Bruno Bombeiro, Edidalto, Alemão e esposa Sônia e família, Ver. Valdir Rosinski, Luis Silva, Ver. Natalino Pedreiro, Ex-deputado e ex-prefeito de Nova Londrina - Arlindo Troian e sua esposa Vilma, Ex-Vereador – Prof. Osmar Fernandes, Radialista da Rádio Rainha FM 104.9 – Luciano Pereira e esposa, Cido e o seu filho, Ivany Mieli, Edson da Ambulância, Zeza, Edilson Selani e esposa - Vi Ferreira, Maria de Fátima, Meire, Teka Marques, Fernando Pecine, Cleonira, Zefinha; Marcos Campos; Roberto; Nivaldo; Rubens Lopes Peres (Surubim), Talim ... entre outros.


Fotos:



























Vídeo:

sábado, 11 de agosto de 2018

ANTONIO SOARES MENDONÇA


Nasceu na data de 25 de janeiro de 1931, em Macaíba/RN e faleceu em Cuiabá/MT; brasileiro, casado, aposentado; filho de Venceslau Soares Mendonça e Bertulina soares Mendonça; cônjuge: Ivone Soares Mendonça (casaram-se em Guairaçá/PR); 7 filhos: Rubens Soares Mendonça; Reinaldo Soares Mendonça; Geraldo Soares Mendonça; Lindalva Soares Mendonça; Antônio Carlos Mendonça; Milton Soares Mendonça e Elaine Cristina Mendonça (Todos nascidos em Nova Londrina, Estado do Paraná). Chegou em Nova Londrina na data de 07 de janeiro de 1957. Tinha pouco comércio; o Hospital ainda era de madeira. Morou próximo a serraria e, depois, na Rua João Venâncio da Rocha. O prefeito era o Sr. Avelino Antônio Colla. Inicialmente foi trabalhar na serraria do Sr. José Raimundo (Nelson era o Gerente), trabalhou por 3 anos. Em 1969, entrou na Cooperativa – na Usina de algodão. Ajudou a construir a fecularia, do alicerce até sua conclusão, inaugurada em 1992. Jogou no time do Nova Londrina, Esporte Clube (foi reserva do time, 1962).

Mural de fotos da família






sábado, 28 de julho de 2018

Prefeito de Nova Londrina - Diário do Noroste

           
Fonte: Diário do Noroeste, Paranavaí, quinta-feira, 23 de janeiro de 1997

PREFEITO DE NOVA LONDRINA MOSTRA O QUE ENCONTROU E FALA O QUE PRETENDE FAZER

         A situação de penúria que o prefeito João Fernandes de Almeida encontrou na admiração municipal ao tomar posse do cargo, em Nova Londrina, apontou para o rumo do esclarecimento à população, retratando todos os problemas que encontrou e já dando conhecimento, em linhas gerais do que pretende realizar para solucionar os problemas que lhe foram postos à frente.
         Elaborou o relatório que vai transcrito aqui na íntegra e que está trazendo a público através da imprensa falada e escrita:

I – DA SITUAÇÃO DO MUNICÍPIO: 1º DE JANEIRO DE 1997

1.1 – DEPARTAMENTO DAS FINANÇAS: Dívidas do Município
         A dívida do município em 01/01/1997 monta em R$ - 2.237.394,78; vencida e de exigência imediata monta em R$ - 747.933,07
         Só com o funcionalismo está o município com atraso de quatro folhas de pagamento, sendo da gestão anterior referente aos meses de outubro, novembro, dezembro e o 13º salário, que monta em R$ - 463.990,69, sem os acréscimos dos encargos sociais.

DÍVIDA ATIVA DO MUNICÍPIO

(Créditos por Tributos Vencidos)
         Os tributos vencidos e não pagos, correspondentes a impostos, taxas e contribuição de melhoria, montam em R$ - 140.013,68

1.2 DEPARTAMENTO DE OBRAS, VIAÇÃO E URBANISMO

A) – É do conhecimento do público a situação de calamidade que se encontrava a nossa cidade: entulhos por recolher há mais de sessenta dias e lixos há mais de quinze dias. Como se verifica, a cidade estava no mais completo abandono;
B) – A situação do asfalto das vias públicas se encontra em completo abandono, se deteriorando a cada dia, inclusive se verifica isso em asfalto recentemente construído;
C) – As galerias de águas pluviais se encontram, na sua maioria, totalmente entupidas;
D) – As rodovias municipais rurais, ao completo abandono, pela falta regular de conservação;
E) – A frota de maquinários, equipamentos, veículos, etc, se encontra no pior estado imaginável. O pátio mais se parecia a um depósito de ferro velho. O sucateamento da frota municipal é uma realidade visível e que poderá ser firmado por qualquer um;
F) – Inexistia qualquer controle de uso de veículos, assim como no que se refere ao consumo de combustível e peças de reposição;
G) – Também como é do conhecimento geral, não existe placas de sinalização nas vias públicas;
H) – O almoxarifado estava desprovido de fichário para o controle da entrada e saída de materiais e ferramentas.

1.3 – DEPARTAMENTO DA ADMINISTRAÇÃO

A) – Como já dito anteriormente, os nossos funcionários estão com quatro (04) folhas de pagamentos em atraso, o que sem os encargos sociais monta R$ - 463.990,69
B) Constatamos de início que existia um elevado e considerável valor atribuído como se fosse prestação de serviço em horário extraordinário e que era computado a funcionários. Porém, foi constatado que grande parte dos funcionários recebia essas horas extraordinárias sem a correspondente prestação de serviços. Constatou-se, também, que esses valores eram desiguais na sua distribuição; alguns funcionários recebiam além de 100%, outros não mais do que 10% do valor da sua remuneração básica. Esse fato vinha onerando indevidamente e consideravelmente o erário público;
C) – Inexistia um controle sistemático dos bens patrimoniais, desde a sua aquisição até a sua alienação ou sua extinção pelo uso;
D) – Inexistia uma política salarial do funcionalismo, compatível com o cargo que exerce e nem um plano de cargo e carreira acompanhado de um manual de ocupação;
E) – Atualmente, o número de inativos, pensionistas e aposentados é pequeno, porém, os que virão, futuramente, nenhuma garantia terão de receber os seus proventos em dia. Tal fato se deve porque o Município não tem nenhuma provisão para tal, não obstante venha recebendo dos funcionários um certo percentual, mesmo sendo extinto o fundo previdenciário. O extinto fundo previdenciário foi gradativamente ao longo do tempo sumindo, visto que o Município não repassava ao mesmo a sua parte e mais o que recebia dos funcionários. A extinção foi feita sob a alegação de pôr em dia a filha de pagamento do funcionalismo, o que de fato jamais aconteceu;
F) – Não existia qualquer controle de entrada e saída dos funcionários; exceção seja feita ao corpo docente e funcionários do setor de ensino;
G) – Também não existia qualquer controle dos materiais de expediente, por isso, muitos deles eram adquiridos em duplicidade.

1.4 – DEPARTAMENTO DA SAÚDE E BEM-ESTAR SOCIAL

DA SAÚDE PÚBLICA

         A saúde pública, como de resto em todo Brasil, está em péssima condição, é um sistema deficiente e por cima de tudo isso, faltam recursos financeiros. As verbas consignadas pelo SUS – sistema Único de Saúde são insuficientes para dar atendimento a todos os cidadãos como quer o Governo e assim determina nossa Constituição. Nosso Município também não foge a essa regra. Os encargos que deveriam ser suportados satisfatoriamente pelo sistema estão sendo transferidos quase na sua totalidade para a responsabilidade do Município e, este, sem recursos financeiros, não vem dando o devido atendimento. Enfim, o atendimento é precário e as pessoas carentes, enfim os mais necessitados, sofrem, visto que muitos cidadãos que têm condições financeiras de serem atendidos pelos hospitais e médicos particulares, em detrimento dos pobres, valem-se do sistema, esgotando os recursos que deveriam ser carreados aos necessitados.

DA ASSISTÊNCIA SOCIAL

         As Creches foram encontradas sujas e em mau estado de conservação. Os equipamentos, segundo informações das coordenadoras, estão faltando máquinas de costuras. Também, no prédio, onde estava instalada a “Vaca Mecânica”, está faltando um balcão freezer, um liquidificador e um ferro de passar roupa. Também, não foram encontradas as toalhas que serviam para cobrir os pães. Os uniformes de verão que deveriam estar nas Creches foram entregues aos pais dos menores; existe somente os uniformes de inverno. Faltavam informações ao pessoal que serviam nas Creches para um atendimento de emergência, e sequer, tinham os funcionários se submetido a exame médico que é obrigatório em todas as entidades públicas.

1.5 – DEPARTAMENTO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO, AGRICULTURA E MEIO AMBIENTE

         A pasta, praticamente, inexistia. Havia um certo número de funcionários abnegados, que, por si só, conduziam da melhor forma que podiam. Faltava nesse setor importante do município alguém com força de vontade para, efetivamente, s3ervir a comunidade. Havia um projeto inacabado de viveiro de mudas. Pouco ou nenhum entrosamento com as entidades públicas ligadas ao setor.
         Apatrulha rural se encontra sem a mínima condição de uso; o trator está sucateado e dividido em duas partes e conservado em cavaletes e as carretas sem os seus rodados pneus.
         O veículo Fiat que pertence ao setor foi encontrado sem condições de uso.
         No setor há pendências a serem recebidas pelos serviços de há muito prestados. Soube-se que os usuários não foram cobrados formalmente.
         No que se refere ao lixo, existe um projeto que jamais foi executado e nem cobrado do Governo à sua implantação.

1.6 – DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTES

         Os estabelecimentos de ensino estão fechados devido às férias coletivas no setor, portanto, ainda não se apurou toda a realidade da rede ao ensino municipal, no entanto, está procedendo o levantamento para se apurar o estado do patrimônio referente ao setor.

II – DAS PROVIDÊNCIAS TODAS

2.1 – Departamento das Finanças

A) – DÍVIDAS DO MUNICÍPIO

Vai se dar prioridade ao pagamento do funcionalismo. Já determinei ao Departamento das Finanças para que se proceda o pagamento da folha do mês de janeiro de 1997 e a do mês de outubro do exercício de 1996. E dessa forma será procedido até que se equilibrem as contas com o funcionalismo, ou seja, pretendemos pagar um mês em dia e outro em atraso.

B) -  DÍVIDA ATIVA DO MUNICÍPIO

         Iremos convidar todos os contribuintes do nosso Município para quitar os seus débitos, e o exemplo será dado dentro desta casa. Não se admitirá que nenhum funcionário, seja ele de provimento efetivo ou em comissão, que fique em débito com a Fazenda Municipal.
         O convite será amigável e não nos sentimos humilhados de pedir a colaboração de todos os cidadãos de Nova Londrina virem até a Prefeitura regularizar a sua situação tributário, posto que o volume dos débitos é suficiente já para pagar uma folha de pagamento.
         Nenhum fornecedor deixará de receber o que realmente tem direito. No entanto, rogo aos mesmos que tenham paciência, posto que a partir do mês de março do corrente ano, iremos programar o pagamento aos mesmos.

2.2 – DEPARTAMENTO DE OBRAS, VIAÇÃO E URBANISMO

A) – Entulhos e Lixos

         Foram postos a campo de serviço todos os veículos e equipamentos disponíveis tão logo tomamos posse, isso após consertos e reparos precários e provisórios, procedendo o recolhimento dos entulhos e lixos que encontravam armazenados nas vias públicas. Nesse setor ainda não foi possível irar todos os entulhos existentes, porém, o recolhimento do lixo normatizou-se e até com considerável melhoria, visto que tal serviço está funcionando em regime de plantão de dois turnos. No entanto, estamos verificando que algumas pessoas ainda continuam a jogar os entulhos nas ruas. Pedimos a colaboração dessas pessoas para que antes de tomarem esse procedimento, se comuniquem com o nosso Secretário Sr. Roberto Haddad, o qual providenciará a retirada do mesmo já dentro do quintal, motivo pelo qual pedimos que não joguem mais os entulhos nas vias públicas, posto que tal procedimento compromete as galerias pluviais e o prejuízo é muito grande para o município, inclusive com comprometimento da saúde da população.

B) – DO ASFALTO DAS VIAS PÚBLICAS

         Com relação a situação do asfalto das vias públicas, que se encontra em péssima situação, esta administração já está tomando as providências necessárias para que a curto prazo sejam corrigidos esses defeitos, porém, há que salientar que, nenhum recurso financeiro até o presente momento existente.

C) DAS GALERIAS PLUVIAIS

         No que se refere às galerias pluviais, iniciamos de imediato (...)


LEIA O JORNAL:



Repertório Biográfico


João Fernandes de Almeida

Profissão: Produtor Rural – Aposentado;
Escolaridade: Curso antigo de Admissão (básico); Autodidata em ciências política;
Nascimento: 19 de fevereiro de 1934, segunda-feira, Iara/CE; signo – aquário;
Falecimento: 29 de julho de 2000, (sábado), na cidade de Nova Londrina, Estado do Paraná/Brasil;
Filiação: José Fernandes de Almeida e Josefa Francisca da Conceição;
Cônjuge: Lêda Soares de Almeida;
Filhos: Wilson, Osmar, Marli, Marlene, Marley e Marcesley;
Mandatos Eletivos: Vereador no Município de Nova Londrina/PR – gestões: 31/01/1973 a 31/01/1977; 31/01/1977 a 31/01/1983; 31/01/1983 a 31/01/1989; 31/01/1989 a 31/01/1993;
Prefeito do Município de Nova Londrina, Estado do Paraná, gestão: 01/01/1997 a 29/07/ 2000 (faleceu dia 29 de julho de 2000, as 4 hs da manhã, dormindo em sua residência);
Suplência e Efetivação no cargo de Vereador no Município de Nova Londrina/PR: Mandato de 1977 a 1983 - 1º Suplente de Vereador; assumiu por motivo de renúncia do vereador Jessé da Silva e exerceu a gestão de: 1980 a 1983;
Filiações Partidárias: Arena; PDS; PFL; PRN e PDT;
Atividades Partidárias: Presidente do PRN - 1992, PDT - 1996, Constituinte - 1990 - Lei Orgânica do Município de Nova Londrina/PR;
Cargos Públicos: Prefeito Municipal de Nova Londrina/PR, gestão: 1997 a 2000, Presidente do Poder Legislativo Municipal, gestão: 01/01/1991 a 31/01/1993 – Nova Londrina/PR, 2º Secretário, gestão: 1976/1977 – Câmara Municipal de Vereadores de Nova Londrina/PR;
Atividades Parlamentares na Câmara de Vereadores de Nova Londrina/PR: Autor do projeto para a construção da Rodoviária - situada na Vila Andradina; “Constituinte” 1990, integrante da Comissão de Sistematização, como Relator Presidente; nas Comissões Temáticas como Relator da Lei Orgânica do Município de Nova Londrina em 1990; e outros inúmeros projetos de cunho social (...).



ONDE O SONHO TAMBÉM MORRE
Poema feito num momento de dor e despedida... Dia 30 de julho (num domingo triste, sepultava meu pai, exatamente há 18 anos).


Uma singela homenagem ao meu pai



Mural de fotos 



Pai, você é meu herói, meu guerreiro e meu eterno conselheiro: